Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Por sequência, Bruno não descarta ser emprestado pelo Palmeiras em 2011

É algo que não podemos descartar nunca. O futebol é uma incógnita. No Palmeiras isso é mais complicado, porque se colocarem para jogar os goleiros do juvenil, eles vão numa boa, disse reserva de Marcos e Deola

Gazeta Esportiva |

A excelente escola de goleiros do Palmeiras continua trabalhando a todo vapor na Academia de Futebol, e já são tantas as promessas que não há espaço para aproveitá-las no clube. É o caso de Bruno, que torce pela recuperação do ídolo Marcos enquanto acompanha atuações cada vez melhores de Deola no Brasileirão e na Copa Sul-Americana. Para ter uma sequência maior, o jogador não descarta ser emprestado em 2011.

"É algo que não podemos descartar nunca. O futebol é uma incógnita. Posso chegar na pré-temporada e o Palmeiras enjoar de mim e resolver dar chances para os goleiros das categorias base. Ano que vem, espero que o Marcão volte jogar bem e que seja feliz. Chega de lesões para ele. E nós vamos procurar o nosso espaço. No Palmeiras isso é mais complicado, porque se colocarem para jogar os goleiros do juvenil, eles vão numa boa", disse.

Deola, que atualmente substitui Marcos, viveu situação semelhante à de Bruno. O arqueiro passou por Guarani, Juventus, Barueri e Sertãozinho e só agora, aos 27 anos, começa a ter a tão esperada sequência no Verdão. Fez 30 jogos pelo time como profissional, número inexpressivo perto das 504 atuações de 'São' Marcos. Já Bruno, que em janeiro fraturou o pé ainda na pré-temporada e ficou longo tempo parado, só jogou 23 vezes.

"Todo mundo fala e, se você perguntar para todos os goleiros da Série A, eles vão confirmar: goleiro é ritmo de jogo. Temos inúmeros exemplos aqui: do Marcos, todo mundo lembra de 99, mas ele começou em 96, quando fez 10, 12 jogos consecutivos. O Diego (Cavalieri), só lembram de 2006, mas ele começou a jogar em 2004. Agora, o Deola está tendo a chance dele", apontou o camisa 1, preterido em favor do camisa 12 e do 22.

"Todos os goleiros precisam disso. Não importa se jogou 20 vezes ou só nas categorias de base: quando entrar na posição, tem que ter uma sequência para buscar maturidade e se firmar", complementou. Bruno não terá essa opção: vai poder atuar nos quatro últimos jogos do Brasileirão, já que o técnico Luiz Felipe Scolari deve poupar os titulares para a disputa da Copa Sul-Americana. Depois, ele volta para a reserva. Ou vai para outro clube.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG