Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Por responsabilidade, Andrés ameniza discurso sobre rivalidade

Presidente corintiano evita declarações polêmicas para não provocar confrontos entre torcidas do Corinthians e do São Paulo

Levi Guimarães, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861539597&_c_=MiGComponente_C

Sempre fui bem tratado aqui, prefiro perder do São Paulo e ser campeão, ficar discutindo pela imprensa só vai trazer violência. Algumas frases ditas pelo presidente do Corinthians Andrés Sanchez após a vitória por 2 a 0 no clássico de domingo mostram que o dirigente está tentando deixar para trás as declarações polêmicas.

No domingo, Sanchez evitou fazer provocações com a vitória, a manutenção do tabu contra o rival e mesmo com o histórico favorável ao Corinthians na casa do adversário. E disse que a vitória sequer dava moral maior pelo time, que os três pontos conquistados tinham a mesma importância que teriam contra qualquer adversário. Tudo, segundo ele, em nome da responsabilidade.

Eu tive um exemplo muito mau, que eu tive minha parte de culpa, que foi naquele maldito jogo que foram reduzidos os ingressos. Fiquei discutindo pela imprensa durante dez, doze dias e quase teve um massacre aqui dentro. Então acho que temos que ter responsabilidade e cuidado com o que falamos, porque o torcedor ouvindo o presidente ou algum dirigente falar já tem violência, pode ficar ainda pior, disse Andrés.

Milton Trajano
 
O presidente corintiano se referiu a episódio ocorrido no começo de 2009, quando o São Paulo decidiu dar ao Corinthians apenas a carga mínima de ingressos determinada por lei para a equipe visitante. Durante dias, ele e o presidente são-paulino Juvenal Juvêncio discutiram publicamente, e no dia do jogo houve confronto da torcida corintiana com a polícia.

Para tentar evitar novos episódios de violência, portanto, Sanchez tenta controlar suas declarações a respeito da rivalidade entre os dois clubes paulistas. Atualmente, em vez de frases polêmicas, ganharam espaço no repertório do dirigente frases mais amenas e, no máximo, tiradas irônicas para cutucar o rival.

O discurso responsável de Andrés, no entanto, não foi seguido pelo site oficial do Corinthians e até por alguns jogadores. Na página do clube na internet, a manchete sobre a vitória por 2 a 0 no clássico foi CPF na nota?, uma referência à freguesia são-paulina, já que o time não vence no confronto com o rival há desde fevereiro de 2007.

Já no Twitter, dois jogadores importantes fizeram a alegria dos torcedores corintianos ao comemorarem a vitória cutucando os são-paulinos. Ronaldo, com uma ironia leve, apenas perguntou: E aí, gostaram do jogo?.

Por sua vez, o volante Elias, autor do primeiro gol, brincou com a continuidade do tabu usando a famosa narração do locutor Cleber Machado quando Rubens Barrichello cedeu passagem a Michael Schumacher: Frase do dia!!! por Cléber Machado: hoje não, hoje não!!!!!!!! HOJE SIM!!!! HOJE SIM!!!!, escreveu o camisa sete.

Do lado são-paulino, o técnico Paulo César Carpegiani preferiu não polemizar sobre as provocações. Não levo para esse lado. Acho que foi um placar exagerado. Criamos oportunidades, mas não fizemos. Não vejo como freguês, ainda vamos ter muitos confrontos, disse o treinador.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirocorinthiansfutebol

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG