Time paranaense luta contra o rebaixamento e por isso o novo técnico resolveu mexer na escalação

Mudar ou cair ainda mais. Essa foi a conclusão a que chegou o técnico Antônio Lopes após a goleada sofrida diante do Grêmio, no último final de semana, pelo Campeonato Brasileiro 2011. Dessa forma, o Atlético-PR deve ter pelo menos cinco mudanças na equipe que encara o Palmeiras, nesta quarta-feira, na Arena da Baixada. Nem mesmo o esquema com três zagueiros resistiu às observações do Delegado.

"Pelo que vimos nos treinamentos de sexta e sábado, assim como no jogo contra o Grêmio, pelo que conheço da rapaziada, as modificações foram feitas em consideração a isso", disse o comandante rubro-negro, explicando as modificações. "Vamos jogar com uma linha de quatro atrás, quatro jogadores no meio e dois atacantes", acrescentou.

Com isso, Wagner Diniz, Fransérgio, Fabrício, Mádson e Pablo deixam a equipe, dando oportunidade para alguns atletas que aguardavam uma nova chance após serem preteridos por Renato Gaúcho.

"O Guerrón treinou bem, fez um treino coletivo muito bom com o Adaílton, o time ganhou força de ataque, estrutura física maior na frente e velocidade. O Marcelo (Oliveira) tem boa técnica, vai melhorar a nossa posse de bola, a organização e a criatividade ali no meio", avaliou Lopes, que ainda colocará Héracles e Edílson entre os titulares.

Na lógica do técnico, com o 4-4-2, aliado às características dos jogadores que entram no time, a tendência é um Rubro-Negro mais veloz e com maior força no sistema ofensivo.

"O Cléber, o Marcinho e o Marcelo vão ajudar a criar as jogadas de gol, serão eles os responsáveis por isso. São três jogadores inteligentes, de boa técnica, acho que podem criar bastante para o Guerrón e o Adaílton na frente", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.