Clube tentará conversar com o Banif para negociar a dívida de mais de 6 milhões de euros

O Palmeiras fará uma reunião até o fim desta semana com a Banif para tentar chegar a um acordo com o banco por causa da dívida de mais de 6 milhões de euros que vence no meio de agosto por causa da chegada de Valdivia . O iG apurou que o presidente, Arnaldo Tirone, e o vice-presidente financeiro, Walter Munhoz, devem conversar com a instituição financeira para evitar que o problema ultrapasse a conversa e cause uma dor de cabeça extra.

Eles ainda não sabem como vão pagar essa carta de crédito que foi concedida na gestão passada para que o chileno deixasse o Al Ain. Mas não querem estremecer a relação com o Banif, que, inclusive, é um dos patrocinadores de Luiz Felipe Scolari e ajuda a pagar os vencimentos do treinador.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

O detalhe da história fica por conta da possível ajuda do ex-presidente Mustafá Contursi. Apesar de declarar abertamente que está rompido com a atual gestão, mesmo tendo apoiado os nomes que estão no comando atualmente no início do ano, o dirigente pode encabeçar as conversas com o Banif. Oficialmente, todos os envolvidos negam.

Nesse caso, a tendência é que nada tire Valdivia de campo. A dívida é entre Palmeiras e banco e, por isso, não haveria motivo para algum clube protestar formalmente e tirar e legalidade do camisa 10 atuar. O temor é de que juros sejam aplicados e a dívida, que já é considerada exarcebada, fique ainda maior.

Valdivia esteve no Pacaembu na última quarta-feira para acompanhar o empate por 0 a 0 contra o Flamengo. No próximo domingo, ele deve estar entre os relacionados para enfrentar o Fluminense.

Coloque seu time em 1º no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.