Incentivos são aprovados em primeira instância. Votação final vai ocorrer até a próxima sexta-feira

Por 36 votos a favor e 12 contra, com três abstenções, o plenário da Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta quarta-feira, em primeira votação, o Projeto de Lei 288/2011, de autoria do Executivo, que prevê incentivos fiscais para a construção do estádio do Corinthians , em Itaquera, zona leste de São Paulo. A futura arena corintiana é a única aposta do governo paulista e da prefeitura da capital para que a cidade receba a abertura da Copa de 2014 .

Terreno onde o Corinthians pretende construir o estádio em Itaquera
AE
Terreno onde o Corinthians pretende construir o estádio em Itaquera

Siga a página do iG Corinthians no Twitter

O projeto deve agora respeitar um intervalo de 48 horas regimentais para que volte a ser avaliado pelos parlamentares em segunda votação. Nesta quinta, o projeto de lei passa por nova audiência pública para discussão da matéria, a partir das 9h, no salão nobre da Câmara. A segunda votação, defintiva, acontece até a sexta-feira.

Entre para a torcida virtual do Corinthians e convide seus amigos para entrarem também

O projeto de lei foi feito para criar Certificados de Incentivos ao Desenvolvimento (CID) que, ao serem colocados no mercado, poderão ser recuperados pela Prefeitura e, assim, o Corinthians deixaria de pagar cerca de R$ 300 milhões em impostos ao município.

Para ser aprovado, o projeto de lei deve aprovado por 28 dos 55 vereadores. Aurélio Miguel (PR), principal opositor da lei dentro da casa, disse em plenário que acredita na aprovação da lei e que por isso, não havendo outra saída para barrar o projeto, irá entrar com um recurso público contra a prefeitura antes que Gilberto Kassab assine a lei.

A assinatura do contrato de financiamento entre BNDES, Odebrecht e Corinthians ainda não foi firmado e precisa ser feito até o dia 11 de julho, data limite para se apresentar à Fifa as garantias financeiras do empreendimento em Itaquera. Para se ter essa assinatura, clube e parceiros esperam que a Câmara Municipal vote este projeto de lei em tempo hábil.

“Essa é uma questão política, ligada à vontade da prefeitura de São Paulo de hospedar a abertura. Os ganhos são enormes, muito mais que esse benefício menciona e diz respeito à uma lei já existente para a Zona Leste. A lógica vai prevalecer, independente de ser Corinthians, independente de ter vereadores do São Paulo (Aurélio Miguel, do PR), o bem estar da cidade vai ser atendido”, comentou na tera-feira o diretor de marketing do Corinthians, Luís Paulo Rosenberg. “O Corinthians continua com seu projeto, vai ser construído e tenho absoluto serenidade para dizer que vai ser o estádio da abertura”.

Confira uma galeria de fotos do início das obras no terreno do Fielzão, em Itaquera:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.