Tamanho do texto

Time de Campinas ficou no 1 a 1 e, portanto, não conseguiu superar a Portuguesa na tabela da Série B

A Ponte Preta termina a sexta-feira na liderança da Série B do Campeonato Brasileiro, mas divide o posto com a Portuguesa e perde nos critérios de desempate. Situação frustrante para a equipe que poderia ficar sozinha na ponta da tabela, mas não teve forças para ir além de um empate por 1 a 1 com o Vila Nova em Araraquara.

Dona de amplo domínio na primeira metade da partida, a Ponte abriu o placar em cobrança de falta de João Paulo Silva, aos 11 minutos, e não fez mais porque o goleiro Michel Alves apresentou-se bem. No segundo tempo, contudo, os paulistas caíram de rendimento e sofreram gol de Leandro Cearense logo aos três minutos, sem ter mais eficiência para retomar a superioridade no placar.

O clube de Campinas chegou a 39 pontos e segue com 11 vitórias, assim como a Portuguesa, que recebe o Paraná neste sábado. A equipe paulista, contudo, tem maior saldo de gols: 22 contra 14. A Ponte segue na caça da liderança isolada na próxima sexta-feira, em visita ao Icasa, no Ceará.

Já o Vila Nova conquistou um ponto que o deixa fora da zona de rebaixamento. Soma 24, como o São Caetano , que visitará o Boa Esporte em Minas Gerais neste sábado, mas à frente dele por ter seis vitórias, contra cinco do time do ABC paulista. Os goianos voltam a campo apenas em 10 de setembro, diante do Boa, no Serra Dourada, em Goiânia.

Ponte dominou o jogo, mas o Vila Nova conseguiu pelo menos um empate fora de casa
AE
Ponte dominou o jogo, mas o Vila Nova conseguiu pelo menos um empate fora de casa

O jogo
Mesmo impedida pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) de atuar no Moisés Lucarelli, a Ponte Preta mostrou-se à vontade em Araraquara diante de uma equipe que lutava contra o rebaixamento. Logo aos cinco minutos, um cruzamento de Josimar quase se transformou em gol contra de Ben Hur.

O domínio forçava o Vila Nova a fazer faltas para se segurar. Uma delas, aos 11 minutos, João Paulo Silva cobrou com perfeição para abrir o placar. E a Ponte não se contentou com o primeiro gol. Apesar de adotar postura um pouco menos cautelosa, continuou criando oportunidades.

A ampliação da vitória parecia previsível. Os campineiros levavam a melhor mesmo quando os goianos tentavam se posicionar na frente, tanto que Josimar só não ampliou em contra-ataque porque Michel Alves fez excelente defesa. O próprio Josimar ainda aproveitou cruzamento de Uendel para cabecear uma bola no travessão.

Diante de uma partida truncada, mas com divididas frequentemente vencida por quem vestia alvinegro e partia ao ataque em velocidade, o técnico Artur Neto avançou seu esquema ainda no primeiro tempo com a entrada de Leandro Cearense. A alteração não mudou o panorama até o intervalo, mas fez efeito no segundo tempo.

Aos três minutos da etapa final, Davi cobrou falta executando cruzamento preciso para Leandro Cearense, que revelou um desejo do elenco para que ele fosse titular no ataque ao lado de Roni, cabecear nas redes e igualar o placar em Araquara.

Se o marcador estava igual, a partida estava totalmente desequilibrada. E a favor dos goianos. A equipe rubra impunha velocidade, aproveitava-se do nervosismo ponte-pretano e criou uma série de oportunidades, não constituindo a virada somente por conta de seus erros nas finalizações.

O técnico Gilson Kleina, então, resolveu agir. Mudou seus jogadores na frente, avançou seus meio-campistas e retomou o domínio visto no primeiro tempo. O problema para a Macaca era que o Vila Nova já não aceitava mais se resguardar atrás do meio-campo vendo o toque de bola adversário.

Na ânsia de ser cauteloso para não sofrer a virada, o time campineiro não tinha jogadores suficientes na frente para encontrar espaços na defesa goiana, mesmo depois de o volante Adílson ser expulso aos 26 minutos por receber o segundo cartão amarelo.

Até o final do confronto, a Ponte Preta só assustou em arremates de longa distância ou em alguns cruzamentos à área. Todas as tentativas em direção à meta, entretanto, eram interceptadas por Michel Alves, dono de boa atuação que assegurou um importante ponto ao Vila Nova na luta para escapar do rebaixamento.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 1 x 1 VILA NOVA

Local: Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Data: 2 de setembro de 2011
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitros: Gleidson Santos Oliveira (BA)
Auxiliares: Marcos Rocha de Amorim e Dijalma Silva Ferreira (ambos da BA)
Cartões amarelos: Xaves (Ponte Preta); Giovani (Vila Nova)
Cartão vermelho: Adilson (Vila Nova)

Gols:
PONTE PRETA: João Paulo Silva, aos 11 minutos do primeiro tempo
VILA NOVA: Leandro Cearense, aos três minutos do segundo tempo

PONTE PRETA: Júlio César; Murilo (Tiago Luís), Wescley, Leandro Silva e Uendel; Xaves (Márcio Diogo), Josimar, João Paulo Silva e Gerson; Ricardo Jesus e Ricardinho (Lúcio Flávio)
Técnico: Gilson Kleina

VILA NOVA: Michel Alves; Luizinho, Augusto, Ben Hur e Marquinhos; Jairo, Giovani (Leandro Cearense), Adilson e David; Bergson (Ricardinho) e Davi Ceará (Luiz Fernando)
Técnico: Artur Neto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.