Tamanho do texto

Único candidato, Joseph Blatter disse não estar preocupado com possível abandono de membros da AFC

Atual presidente da Uefa (União das Federações Europeias de Futebol), Michel Platini levantou nesta segunda-feira a possibilidade dos membros da AFC (Confederação Asiática de Futebol) deixarem o congresso da próxima quarta-feira que elegerá o presidente da Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados). Atual mandatário, Joseph Blatter é o único candidato na eleição depois de Mohamed Bin Hammam, presidente da AFC, retirar sua candidatura antes de ser suspenso pela Fifa por acusação de suborno .

Platini, que é um dos vice-presidentes de Fifa, lembrou que protesto semelhante aconteceu no congresso de 1999 da entidade. "Em 1999, a Ásia saiu, eu não sei se eles vão fazer isso de novo. Eu acho que a eleição vai à frente, mas eu não sei", disse o ex-jogador francês.

Blatter, porém, assegurou não estar preocupado com a possibilidade dos 46 membros asiáticos ficarem fora de eleição. "Eu já enfrentei isso uma vez e o congresso saiu", disse. "Eles vão estar lá, eu tenho certeza".

Yousuf Al Serkal, um dos vice-presidentes da AFC e aliado próximo de Bin Hammam, disse que o catariano foi "maltratado". "Bin Hammam é a pessoa certa, que deveria ter sido eleito para a presidência da Fifa, do ponto de vista da mudança", disse. "Blatter teve sua chance, é mais que suficiente. Devem haver mudanças para o benefício do futebol. Bin Hammam poderia ser o melhor para servir o futebol mundial no momento. A maneira como ele foi tratado acho que foi injusto. Todas as alegações foram apenas de um relato".

A Comissão de Ética da Fifa disse no domingo que havia provas suficientes para continuar a investigar as acusações de que Bin Hammam, assim como o Jack Warner, vice-presidente da Fifa, ofereceu suborno de US$ 40 mil (R$ 64 mil) em troca do voto na eleição. Por isso, suspendeu os dois dirigentes .