Volante não quer entrar em conflito e mantém, publicamente, a versão de que família se adaptou em BH

Pierre não quer entrar em conflito com a comissão técnica. Mesmo deixando o Palmeiras pela chateação com o tratamento que considerou inadequado de Luiz Felipe Scolari, Marcos Galeano e companhia, o volante prefere manter a versão de que quer continuar no Atlético-MG pela adaptação de sua filha e também por ter ido muito bem com as cores do time mineiro no Brasileirão do ano passado. Ele inclusive já recusou pedidos de pessoas próximas para dar uma entrevista esclarecendo a situação.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

O volante fez uma reunião com a diretoria do Palmeiras na noite da última quarta-feira e foi questionado sobre a reportagem do iG , que revelou toda a chateação que ele passou tentando ter uma chance para voltar a atuar. Ele respondeu para o gerente de futebol, César Sampaio, e para o vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo, que não tem chateação nenhuma.

O empresário de Pierre, Luiz Alberto, também prefere manter a linha mais tranquila, mas deixa claro que seu jogador queria, sim, ter tido uma chance no Palmeiras e que agora quer que a vida continue.

Pierre tenta desarmar Anselmo Ramon com carrinho
AE
Pierre tenta desarmar Anselmo Ramon com carrinho

“O Pierre foi eleito duas vezes o melhor volante do Brasileirão. Ele se machucou e o Felipão não viu ele muito bem. Foi ver que ele é bom só no Atlético-MG. Vai fazer o quê? Isso acontece todo dia no futebol. Agora ele quer continuar no Atlético-MG. A gente já manifestou nosso interesse, já tivemos a reunião com a diretoria palmeirense e aguardamos o desfecho da negociação”, disse Luiz Alberto em contato telefônico.

O Palmeiras já sabe que dificilmente convencerá Pierre a mudar de ideia. Os dirigentes, no entanto, não querem abrir mão do volante tão fácil. Por isso, fazem jogo duro com o Atlético-MG e querem uma boa recompensa para isso. A ideia é ter o futebol de Daniel Carvalho e ainda uma compensação financeira, seja ela para ajudar a pagar no salário ou apenas um montante de dinheiro.

Isso porque os direitos econômicos pertencem ao próprio Daniel Carvalho e aí a negociação de troca não seria de igual por igual. Enquanto isso, Pierre não treina no Palmeiras nem no Atlético-MG. Ele está em São Paulo para definir o seu futuro. A totalidade de seus direitos pertence ao Palmeiras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.