Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Perto do adeus, Juninho não sabe o que fazer após parar de jogar

Além da carreira de gestor de futebol, o craque analisa a possibilidade de virar treinador ou comentarista

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Quando voltou ao Brasil , em junho, muito se falou que Juninho Pernambucano herdaria um cargo de gestor no futebol do Vasco depois que encerrasse a carreira. Aos 36 anos, o craque ainda não tem uma data fixa para pendurar as chuteiras. Mas o adeus ao futebol é questão de tempo. O meia, porém, afirma que não sabe o que fazer depois que parar.

Vasco é o 2º colocado no Brasileiro. Veja a classificação

“Estou no futebol profissional há 18 anos e até hoje quando me perguntam isso eu não sei o que responder, mesmo estando perto do fim”, diz o craque vascaíno, durante sua participação em uma palestra sobre assessoria de imprensa e novas mídias para alunos de pós-graduação da Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha), em Botafogo, na Zona Sul do Rio.

Veja também: Médico do Vasco diz que Juninho deve voltar contra o Aurora

Divulgação
Juninho, ao centro, é cercado por fãs e torcedores na faculdade
A explicação está na preparação do jogador. Juninho é daqueles atletas diferenciados. Culto, inteligente, se expressa como poucos e tem boa visão do futebol – não apenas nas quatro linhas como nos bastidores. E deste preparo que vem a dúvida: treinador, comentarista ou manager?

“Acredito que estarei ligado ao esporte, mas preciso me preparar, estudar. E eatas são opções a se estudar”, conta o craque, que desfalca o Vasco na partida de domingo, em Pituaçu, contra o Bahia , pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro . No treino desta quinta, ele saiu de campo com dores na panturrilha direita . Os médicos acreditam que o meia volta diante do Aurora , semana que vem, pela Copa Sul-Americana .

Siga o Twitter do iG Vasco e receba notícias do time em tempo real

A vocação para treinador vem do conhecimento técnico adquirido ao longo da carreira. Juninho se julga bom de relacionamento, tem liderança e está sempre analisando a parte tática. O lado comentarista está na facilidade que tem de se comunicar. Convicção, modo de falar esclarecedor e a boa oratória são características que marcam seu discurso.

E, por último, o jogador aposta na sua visão sobre gestão do futebol para assumir um cargo para carreira de atletas ou até mesmo um clube.

 Entre na torcida virtual do Vasco e opine sobre a ausência de Juninho 

 

Leia tudo sobre: vascojuninhobrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG