Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Pensar um jogo de cada vez é a receita de Cuca para sair da crise

Treinador lembrou-se de outras arrancadas do time sob seu comando e acredita na recuperação

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

O técnico Cuca está incomodado com a atual situação do Cruzeiro. No dia de seu aniversário, o treinador reconheceu que o time vive a pior fase desde que ele chegou a Belo Horizonte. Para sair do momento complicado, o treinador já tem uma saída: pensar em uma partida de cada vez para sair da zona de rebaixamento do Brasileirão.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba to das as informações do seu time em tempo real

“São 60 partidas (no comando do Cruzeiro) e hoje a gente vive o pior momento nosso. Bem no dia do aniversário, poderia ser um pouquinho depois. A equipe caiu de produção em relação ao que estava jogando. Domingo era minha folga, eu poderia ter ido para Curitiba, mas fiquei aqui. Fiquei no CT, dando umas voltas, analisando, pensando o que fazer. O que eu pensei? Enaltecer as coisas boas que a gente fez, trabalhar, mobilizar o grupo. Nosso momento hoje é de ganhar o jogo, e não os jogos”, receitou o treinador do Cruzeiro, que completou 48 anos nessa terça-feira.

Vipcomm
Cuca tem conversado muito com os jogadores para superar o momento complicado

Entre para a Torcida Virtual do Cruzeiro e convide seus amigos

Em suas reflexões, Cuca trouxe à tona outras duas arrancadas do Cruzeiro depois de momentos complicados. “Já passamos por situações assim antes. Foi lá com o Corinthians, em Uberlândia, que jogamos para ganhar aquele jogo, e ganhamos de 1 a 0, jogando diferente (Campeonato Brasileiro de 2010). Outro que tínhamos perdido um clássico para o Atlético-MG (Campeonato Mineiro), e tínhamos um jogo importantíssimo na sequência. Nós nos mobilizamos para aquele jogo contra o Estudiantes, e ali foi a grande arrancada (Cruzeiro venceu por 5 a 0, pela Libertadores). Hoje é a terceira vez que temos de ter esse recomeço. Vamos sair dessa”, mirou Cuca.

O treinador encarou as declarações de Fabrício como normais, mas deu um recado para todo o grupo. “O jogador se sente de uma forma angustiada. Vai jogar e, de repente, volta um passo atrás. Acaba dando uma desabafada, o que é normal. Nesse momento que você vive dificuldades como o Cruzeiro está passando, quanto menos falar é melhor”, concluiu o treinador.
 

Leia tudo sobre: CruzeiroBrasileirão 2011Cuca

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG