Tamanho do texto

Em entrevista ao site da Fifa, o ex-jogador destacou a necessidade do país aproveitar a oportunidade para crescer economicamente

Conhecido por não poupar palavras ao tratar de temas polêmicos no futebol mundial, Pelé falou novamente sobre suas expectativas para a Copa do Mundo de 2014 . O ex-jogador comemorou a solução dos problemas envolvidos no início da organização do torneio, mas se mostrou preocupado com a falta de entrosamento apresentada pela seleção brasileira comandada pelo técnico Mano Menezes.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Confiante no sucesso da Copa do Mundo, Pelé destacou a necessidade do Brasil aproveitar a oportunidade de ser o centro das atenções no futebol para crescer economicamente com o evento. O Rei do Futebol acredita que todos os setores do País serão beneficiados com o torneio, inclusive as áreas que exigem uma atenção especial do governo e uma melhora na infraestrutura.

Veja também:  Preços dos ingressos só serão divulgados após aprovação da Lei da Copa

"Todo mundo sabe que houve certos problemas no começo, mas agora tudo está resolvido. Agora todo mundo está remando na direção certa. Vai ser uma grande oportunidade, não só no futebol. O Brasil precisa mostrar tudo o que tem. Vai ser necessário receber muita gente, e temos de aproveitar e crescer como país. Vivemos um momento muito bom economicamente, mas temos de aproveitar a ocasião para ganharmos ainda mais impulso", destacou o ídolo brasileiro, em entevista ao site oficial da Fifa.

Para Pelé, a seleção brasileira de Mano não está no mesmo nível das melhores do mundo da atualidade
Getty Images
Para Pelé, a seleção brasileira de Mano não está no mesmo nível das melhores do mundo da atualidade

E mais: Ex-atacante Bebeto aceita convite e é o novo membro do COL

No entanto, se a expectativa de Pelé para o Mundial é a melhor possível, o mesmo não pode se dizer da análise feita sobre a seleção principal. O ex-jogador acredita que inúmeras equipes levam vantagem sobre o Brasil por já terem um grupo fechado há mais tempo e que o desempenho dos atletas convocados vêm sendo muito aquém daquilo que era esperado pelos torcedores.

Leia também:  Aliados de Teixeira veem cartola isolado e já articulam eleição

"Estamos confiando no treinador e dando tempo para que imponha a sua filosofia. Quando há uma mudança no comando, o novo técnico também muda os jogadores, e isso não é bom. Trata-se de um trabalho a longo prazo. É importante começar já com um plano sério e muita disciplina. Os jogadores precisam se acostumar a competir juntos. Os exemplos recentes confirmam. Holanda, Espanha, Barcelona e outros têm grupos de jogadores que estão competindo juntos há muito tempo", analisou.

No próximo dia 28, a seleão brasileira terá a oportunidade de se redimir com o torcedor mais uma vez e enfrentará a Bósnia, em um amistoso que será realizado na Suíça. A equipe convocada por Mano Menezes conta com uma lista de jogadores que já passaram pelo time principal, mas deixou de fora nomes como o do meia Kaká e do atacante Robinho, que tiveram boas atuações por seus clubes na última semana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.