Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Pelé critica Paulo Henrique Ganso por querer aumento salarial

Ex-camisa 10 do Santos diz que fica triste com notícias de que o meia-atacante gostaria de ganhar mais para não deixar o clube

Marcel Rizzo e Paulo Passos, iG São Paulo* |

Afastado dos gramados há seis meses, Paulo Henrique Ganso não sai das manchetes, seja por brigas com a direção do Santos ou pelas notícias de possíveis transferências para outras equipes. Nesta sexta-feira foi a vez de Pelé comentar a situação do jogador do Santos, que negocia um aumento salarial com o clube da baixada santista.

O ex-camisa 10 do clube se disse triste ao ouvir as notícias de que o jovem meia estaria exigindo mais dinheiro para permanecer na Vila Belmiro. “É uma coisa que, com toda a sinceridade, me deixa triste. O Ganso está saindo de uma contusão e seria bom ele ter calma. Primeiro, voltar a jogar o futebol dele e depois pensar em se transferir. Ele e outros jovens ainda nem foram para a seleção (Ganso foi convocado para o amistoso contra os Estados Unidos) e não ganharam títulos internacionais”, afirmou Pelé.

O ex-jogador, tricampeão do mundo com a seleção brasileira, usou seu exemplo no início da carreira para criticar o meia santista. “Quando fui campeão em 1958, na Suécia, voltei para o Brasil e segui sendo o sexto salário do Santos. Só tive aumento quando acabou o contrato e foi renovado. Hoje, nem acaba o contrato e eles já começam a pedir aumento”, disse.

Pelé afirmou que não conversou com Ganso sobre a situação dele. Em 2010, quando Neymar recebeu uma proposta do Chelsea, o Santos chamou o astro para ajudar na negociação para manter o atacante.

“Eu não conversei com o Ganso, mas o meu filho Edinho, que trabalha lá, me disse que ele está tranqüilo”, afirmou. Para Pelé, apenas os empresários dos jovens jogadores lucram com as saídas deles das equipes brasileiras. “Eles fazem isso pensando nas comissões que podem ganhar”, criticou.

AFP
Pelé exibe medalhas de hexacampeão brasileiro. Só depois de conquistar o Brasil e o mundo ele deixou o País


“Desvalorizado”

Ganso, que recebe um salário de R$ 130 mil no Santos, pretende receber um ordenado equivalente ao de Neymar, que embolsa entre salário e direitos de imagens cerca de R$ 500 mil mensais.

"Estou trabalhando para voltar a jogar em alto nível, só que a gente fica chateado por não ser valorizado pelo clube no qual você joga com muito prazer. E quando você não é valorizado como deveria bate uma tristeza. Mas, infelizmente, são coisas normais no futebol", disparou.

Em meio à crise com a atual diretoria, Ganso visitou o ex-presidente do Santos, Marcelo Teixeira, principal opositor da atual gestão. O atleta justificou que a visita foi para pedir um desconto para o seu sogro na Universidade Santa Cecília, de propriedade de Teixeira. Porém, o iG apurou que encontro não agradou aos dirigentes santistas, e foi visto por alguns integrantes da diretoria como provocativo.

"Vim agradecer todo o apoio e o respeito que tive da presidência do clube em sua gestão que foram fundamentais para a minha formação", disse Ganso à Teixeira.

Se não bastasse, a assessoria de imprensa do jogador divulgou duas notas oficiais nesta semana desmentindo supostas negociações do jogador com Milan, da Itália, e Corinthians. Isso porque a imprensa italiana divulgou que o atleta teria assinado uma carta de compromisso com o clube europeu.

Já uma possível transferência para o arquirrival Corinthians foi considerada pelo presidente Luís Álvaro como uma estratégia da DIS para prejudicar ainda mais o relacionamento entre o jogador e a diretoria santista.

“O presidente do Corinthians me contou isso, mas as pessoas esquecem que o Ganso tem contrato até 2015 e assumiu esse compromisso, acreditamos na palavra e na boa fé do atleta”, afirmou o mandatário Luís Álvaro.

* colaborou Samir Carvalho, iG Santos

Leia tudo sobre: Santospaulo henrique GansoPelécríticapolêmica

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG