Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Palmeiras vai investigar gasto desnecessário de R$ 600 mil

Quinze conselheiros oficializam pedido por comissão para investigar multa paga em dobro na rescisão contratual do atacante Ewerthon

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

AE
Ewerthon passou sem muito brilho pelo Palmeiras
Quinze conselheiros do Palmeiras protocolaram na tarde da última quarta-feira, enquanto Marcos conversava com a imprensa , um pedido para investigar o motivo pelo qual o clube gastou R$ 600 mil a mais com o pagamento da multa rescisória do atacante Ewerthon. Assim como o iG divulgou em dezembro, o atraso em três parcelas no acordo feito para que o atacante deixasse o Palestra Itália fez dobrar o valor da multa.

Entenda o caso: Palmeiras atrasa pagamento e vê multa por Ewerthon subir 100%

O atraso aconteceu mesmo após os departamentos jurídico e financeiro terem sido avisados com mais de 70 dias de antecedência pelo então gerente administrativo Sérgio do Prado. Um dos nomes que assinou a petição é o do ex-diretor de futebol Wlademir Pescarmona. Ele não se conforma com a explicação dada pelo presidente Arnaldo Tirone, culpando o departamento jurídico.

Reprodução/Exclusivo iG
Documento pede que investigação seja feita para entender multa dobrada

“Nós queremos entender o que aconteceu. Por que o clube perdeu R$ 600 mil? O pior é o Tirone justificar dizendo que o Piraci (diretor jurídico) errou e fez o clube perder essa quantia. Só que ele (Piraci) já acertou em muitos outros casos. Os diretores estão lá para trabalhar e ajudar o Palmeiras, não para compensar erros”, disse Pescarmona.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

Além de Pescarmona, também estão no documento Antônio Carlos Corcione ( que teve seu nome envolvido com sumiço de quase R$ 300 mil ), o suplente do COF (Conselho de Orientação Fiscal) Luiz Carlos Granieri e vários outros membros da oposição. Os oposicionistas cobram uma solução: “A responsabilidade pelo rombo precisa ser apurada. Que todas as esferas sejam punidas, independente do nível de participação de cada um dos envolvidos”.

Reprodução/Exclusivo iG
Quadro resumo mostra que aviso foi recebido no dia 02 de fevereiro por todas as áreas do clube

“Agora, cabe ao José Vergamini (presidente do Conselho Deliberativo) colocar o assunto em pauta em uma reunião e formar uma comissão para investigar o caso. Precisamos saber se, por interesses políticos, ele vai formar uma comissão mais leve”, alertou Pescarmona.

A reportagem tentou entrar em contato com o diretor jurídico Piraci de Oliveira e com o presidente Arnaldo Tirone, sem sucesso.

Leia tudo sobre: palmeirasewerthonpiraci de oliveira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG