Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Patrik releva drible de Neymar e se gaba por assistência

Meia do Palmeiras foi outra vítima de Neymar, mas depois deu uma cavadinha que resultou no gol da vitória

Gazeta Esportiva |

No segundo tempo, quando o clássico ainda estava empatado no domingo, Patrik tornou-se mais uma vítima de Neymar, que pulou e gingou à sua frente para driblá-lo. Mas a vitória por 1 a 0 do Palmeiras sobre o Santos na Vila Belmiro deixou o meia da equipe da capital marcado por outra jogada: a cavadinha que resultou no gol de Kleber.

"O Danilo veio me falar: 'entrou no jogo depois daquele drible, né?'", relembrou Patrik, gargalhando ao definir os movimentos de Neymar antes de driblá-lo no meio-campo. "É a dança da Mulher Maravilha", disse, em alusão à música "Liga da Justiça", da banda LevaNóiz, sucesso do carnaval baiano - que contou com a participação de Neymar.

Apesar do bom humor com que vê a jogada que quase se tornou um gol do adversário, Patrik ficou bravo por ter sido usado por Neymar para encantar a torcida santista que estava no estádio. O palmeirense reclamou até da falta de cobertura de Cicinho, que alegou estar longe do lance.

"Eu ia deixar ele só lá dançando, mas não sei quem gritou chega. O Danilo, o Luan e o Kleber ficaram falando: 'vai nele, não deixa a torcida crescer'. Cheguei, e olha o que aconteceu. Era melhor ficar parado", lamentou o jogador, que já havia marcado o astro no empate por 1 a 1 no segundo turno do Brasileiro de 2010, na Vila.

O meia de 18 anos, contudo, prefere exaltar seu passe. Patrik solta a risada ao lembrar que o santista Adriano se enganou ao tentar cobrir espaço para um passe para Luan, foi facilmente driblado e, na sequência, Kleber recebeu livre ao passar por trás da zaga e tocou de primeira para vencer o goleiro Rafael e decidir o clássico.

"O Adriano passou lotado. E já estava lá o Kleber reclamando, pedindo bola. Reclamar ele sabe, mas nem veio me agradecer o passe depois. Mas está tranquilo", sorriu o jogador, que comparou a jogada aos oito meses que passou no futsal do São Caetano antes de ir para o campo no clube do ABC.

Leia tudo sobre: campeonato paulista 2011palmeirasneymar

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG