Em alta, meia abre mão de enfrentar a Ponte na última rodada para depois manter a boa fase no mata-mata

Mesmo em alta no Palmeiras , Patrik não se vê ainda como titular absoluto. Mesmo assim, ele disse que pode abrir mão de atuar na última rodada, contra a Ponte Preta, em Campinas. Em boa fase, o meia pode fazer força para receber o terceiro cartão amarelo no sábado, contra o Grêmio Prudente, no Canindé, e entrar no mata-mata sem estar pendurado.

"É melhor tomar o cartão. É um jogo só (nas quartas de final e na semifinal do Campeonato Paulista), ficar fora não dá. E logo na hora da decisão", admitiu o jogador de 18 anos, que segue se desdobrando para preencher espaços no campo e provar que merecer continuar como titular.

Após terminar 2010 em baixa, Patrik ficou com a vaga que era de Tinga entre os titulares nesta temporada. Tem agradado tanto a Luiz Felipe Scolari que o técnico, embora descarte escalá-lo junto com Lincoln, Valdivia e Kleber, já declarou que não sacará o camisa 40.

"Estou fazendo o meu trabalho, o que o Felipão pede", explicou o meio-campista, que era atacante, um ponta que poderia disputar vaga com Luan ou Adriano Michael Jackson, e foi transformado em meio-campista pelo treinador. "Marcar ninguém gosta, é melhor jogar, mas no ano passado joguei até de volante", lembrou.

O garoto só garante que está longe de estar satisfeito. "Não sou titular absoluto, sempre falta alguma coisa", sempre reforça Patrik, que tem o meia Alex, do Fenerbahce, como ídolo e se espelha em Lincoln e Valdivia nos treinamentos do Palmeiras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.