Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Patrícia Amorim desabafa e reivindica Taça das Bolinhas para Fla

Presidente aparece com camisa "Hexa na Raça" para falar sobre reconhecimento do título brasileiro de 1987

Thales Soares, iG Rio de Janeiro |

A presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, aproveitou o reconhecimento do título brasileiro de 1987 para desabafar. Depois de se reunir com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, ela foi ao Auditório Rogério Steinberg, na Gávea, nesta segunda-feira, vestida a caráter, com a camisa “Hexa na Raça”, para explicar a mudança de decisão da entidade.

null“Desculpa o meu desabafo. Mas se ainda tinham alguma dúvida da minha competência e do Conselho Diretor de lutar a favor do Flamengo, ela acabou. Se saísse hoje, eu me sentiria com a missão cumprida. É o dia mais feliz da minha vida”, disse Patrícia Amorim. “Dirigente não ganha jogo, mas ganha título. Trabalhei muito por isso e trouxe”, emendou.

A dirigente fez questão de lembrar os jogadores que conquistaram o título brasileiro de 1987 e, principalmente, o técnico Carlinhos, comandante do time na época, recentemente homenageado com um busto na Gávea. Existe a possibilidade de acontecer uma cerimônia para uma nova premiação aos campeões.

“Tudo muito sofrido. O Carlinhos, a dificuldade do Zico para jogar, os gols do Bebeto, o falecido Zé Carlos. Eles conquistaram o título e merecem isso”, afirmou a presidente do clube.

Vippcom
Patricia Amorim comemorou o reconhecimento da CBF ao título de 87 e desabafou: "Dirigente não ganha jogo, mas ganha título"

Agora, Patrícia espera que o São Paulo tome a atitude de devolver a Taça das Bolinhas para a Caixa Econômica Federal. Ela seria entregue ao primeiro clube campeão cinco vezes alternadas ou três vezes consecutivas a partir de 1975.

“Espero que o Juvenal (Juvêncio, presidente do São Paulo), que é uma pessoa que eu gosto muito, tenha a grandeza e a nobreza de devolver a Taça das Bolinhas para a Caixa, pois o Flamengo é o primeiro pentacampeão brasileiro”, afirmou Patrícia. “A gente quer, a torcida quer e vamos brigar. O Flamengo não quer mais perder nem dentro nem fora de campo. Ainda mais o que já conquistou”.

Na noite desta segunda-feira, entretanto, o diretor jurídico do São Paulo, Kalil Rocha Abdalla, afirmou que o clube não abrirá mão da controversa Taça das Bolinhas.

Leia tudo sobre: FlamengoSão Paulotaça das bolinhaspolêmica

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG