Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Passagem de Joel é marcada por título e atritos com Loco Abreu

Treinador chegou a pedir demissão durante o Brasileirão, mas voltou atrás e seguiu no comando

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

Gazeta press
Em janeiro de 2010, Joel Santana voltou ao Botafogo
Dois dias depois da derrota para o Vasco, o técnico Joel Santana confirmou, na manhã desta terça-feira, que está deixando o Botafogo. Em sua terceira passagem pelo clube, Joel Santana conquistou um título carioca, levou o time de General Severiano ao 6º lugar no Campeonato Brasileiro – melhor participação da equipe desde 1995, quando foi campeã -, entrou em rota de colisão com o atacante Loco Abreu e, no final de sua passagem, com parte da torcida. Em 14 meses no comando, foram 75 jogos, com 40 vitórias, 23 empates e 12 derrotas - aproveitamento de 63,55% dos pontos.

O treinador assumiu o Botafogo em 26 de janeiro de 2010, alguns dias depois do Botafogo ter sido goleado por 6 a 0 pelo Vasco. Com o estilo ‘paizão’, o treinador conseguiu organizar a equipe e unir os jogadores, conquistando os dois turnos do Campeonato Carioca, dando fim à série de três vice-campeonatos para o Flamengo. O título estadual foi o segundo pelo Botafogo, já que Joel também havia sido campeão em 1997, na primeira passagem pelo clube. Na Copa do Brasil, frustração. Após derrota para o Santa Cruz em casa, a equipe carioca acabou eliminada na segunda fase do torneio.

Valorização e ofertas recusadas
Após a conquista do estadual, o treinador passou a ser disputado por outras equipes. Com um aumento de cerca de 50% no salário do treinador, o Botafogo conseguiu superar o assédio do Flamengo, que havia acabado de demitir o técnico Andrade e chegou a fazer uma proposta oficial para Joel voltar à Gávea. A demora do treinador em decidir se continuaria ou não no Botafogo também chateou dirigentes, que se queixaram da postura de Joel até anunciar que permaneceria.

Gazeta Press
Joel Santana conseguiu um aumento com o título estadual
Depois de recusar o Flamengo, o técnico ainda recebeu propostas do Cruzeiro e de uma equipe do futebol árabe durante o Campeonato Brasileiro de 2010. Ao comentar a opção por permanecer no Botafogo, Joel sempre destacou o bom relacionamento com a diretoria e jogadores para seguir o projeto em General Severiano. O contrato só voltou a ser discutido no final da última temporada, quando o treinador acertou a renovação por um ano, com a possibilidade de rescisão sem multa de ambas as partes após o Campeonato Carioca.

Atrito com Loco Abreu e torcida
Apesar do apelido de ‘Papai Joel’, o treinador também teve problemas de relacionamento com alguns jogadores do elenco durante sua terceira passagem. Amigo dos atletas, Joel nunca admitiu, porém, qualquer ato de indisciplina contra seu comando. Um dos primeiros atritos com o atacante Loco Abreu aconteceu em setembro de 2010, durante a vitória por 1 a 0 do Botafogo sobre o Grêmio Prudente, no Campeonato Brasileiro.

Após ser substituído, o atacante uruguaio deixou o campo reclamando e discutiu rispidamente com o treinador no banco de reservas. Ainda nos vestiários, Joel Santana chegou a entregar o cargo para o presidente Maurício Assumpção, mas foi convencido a continuar por membros do departamento de futebol do clube e outros jogadores. Depois do incidente, Loco Abreu se desculpou e foi multado pela diretoria, mas o relacionamento entre ambos permaneceu abalado.

gazeta press
Joel e Loco Abreu tiveram mais de um desentendimento
No início de 2011, mais uma crise entre a dupla. Após vitória na estreia do Campeonato Carioca, sobre o Duque de Caxias, Loco Abreu deixou a partida reclamando da maneira defensiva do Botafogo atuar. Ouviu como resposta do treinador que ‘estava falando demais’. A situação foi contornada com uma reunião entre jogadores e a comissão técnica. Desta vez, quem chegou a colocar o cargo à disposição foi Loco Abreu, que publicou carta em seu site oficial dizendo ‘querer o melhor para o Botafogo’.

Com a torcida, os problemas começaram no final de 2010, mas se acentuaram na atual temporada. A perda da vaga na Copa Libertadores para o Grêmio, na última rodada do Campeonato Brasileiro do ano passado, diminuiu a paciência dos torcedores com Joel Santana, apesar da campanha ter sido a melhor desde 1995. Depois da eliminação para o Flamengo na Taça Guanabara, e derrota para o River Plate-SE na Copa do Brasil, os xingamentos se tornaram praticamente uma rotina por uma parte da torcida.

O capítulo final na relação de amor e ódio com os botafoguenses aconteceu no último domingo, na derrota para o Vasco. Ao discutir com o árbitro Péricles Bassols, o treinador ouviu da própria torcida: “expulsa, expulsa”. Magoado, o treinador se reuniu com dirigentes do clube na última segunda-feira, em um almoço, mas manteve a decisão de deixar o clube, confirmada na manhã desta terça-feira. Assim como em sua chegada, 14 meses atrás, após uma derrota para o time de São Januário.

Leia tudo sobre: botafogocampeonato carioca 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG