Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

“Paredão” do Cruzeiro, defesa funciona bem no início de 2011

Time mineiro tem a melhor defesa da Libertadores e só sofreu gols em dois dos nove jogos da temporada

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

Fazer gols no Cruzeiro em 2011 vem sendo uma tarefa complicada para os adversários. O time mineiro tem a melhor defesa da Copa Libertadores, sem sofrer nenhum gol até aqui. Em nove partidas disputadas no ano, o goleiro Fábio sofreu gols apenas em duas delas. O início de temporada é um dos melhores dos últimos tempos, com uma defesa formada de última hora e com atletas improvisados.

O Cruzeiro começou o ano com uma dupla de zaga formada por Gil e Léo. No clássico contra o Atlético-MG, o setor defensivo teve uma pane geral e sofreu quatro gols. Acabou sobrando para Léo, que perdeu espaço no time e viu o uruguaio Victorino se tornar titular imediatamente após sua chegada.

“Nossa defesa está muito bem. Isso é fruto do trabalho e do entrosamento dentro e fora do campo. Tem a ver com a dedicação em cada partida e vamos tentar seguir da mesma maneira. Um trabalho de toda a equipe. São apenas três (jogadores) lá atrás. Quando o time rival tem a bola, o atacante já deve ajudar na marcação. Assim, se você não ganha, pelo menos empata quando não sofre gols. Se continuarmos com essa atitude, seremos um time difícil de ser batido”, analisou o zagueiro uruguaio, convocado para defender a seleção de seu país. Com Victorino em campo, foram cinco partidas e apenas um gol sofrido.

O meia Roger explica como funciona a marcação dos atacantes e dos meias. “Hoje em dia não existe mais aquela de atuar em uma posição definida e só fazer aquilo. É obrigação de todos fazer um pouco de cada coisa, principalmente na marcação. Futebol exige isso. O primeiro combate, a marcação sob pressão, faz com que a bola chegue mais ‘mastigada’ para os zagueiros”, disse o armador

Roger lembrou que o pessoal lá de trás também ajuda no setor ofensivo. “Eles também nos ajudam subindo numa bola parada, uma jogada como elemento-surpresa. Victorino chegou na cara do gol contra o América-TO e perdeu. Isso quebra a marcação adversária”, ressaltou.

Vipcomm
Defesa do Cruzeiro ainda não foi vazada na Copa Libertadores e é a melhor do torneio

Improvisos
Na lateral-direita, o polivalente Pablo (que já atuou como lateral-esquerdo e volante no Cruzeiro), ganhou a posição de Rômulo, lateral de ofício. Na esquerda, o jovem Diego Renan foi titular na maioria das partidas, mas perdeu a posição no último jogo para o volante Everton. Apesar da rotatividade e das improvisações, o resultado vem agradando.

O goleiro Fábio, no Cruzeiro desde 2005, não se lembra de um começo de ano tão bom do setor defensivo.“Não me lembro de um momento desse nos anos anteriores. Estou muito feliz por esse momento e pelo nosso trabalho. Estamos enfrentando jogos difíceis e a defesa vem se saindo bem diante das dificuldades. Isso nos ajuda a chegar próximo das vitórias e isso é o que nos queremos”, ressaltou o capitão cruzeirense, que pode escrever seu nome na história caso não sofra gols contra o Tolima, na próxima quarta-feira, como o goleiro com a maior sequência invicta pelo clube azul na Libertadores.

Pelo torneio continental, Fábio não levou gol em nenhum dos três jogos até aqui. No Campeonato Mineiro, sofreu quatro contra o Atlético-MG e um contra o América-TO.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG