Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Parceira do Vasco na operação Juninho Pernambucano está otimista

Representante da fornecedora de material esportivo diz que jogador é parte mais interessada no acerto

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

AP
O meia Juninho Pernambucano já não está satisfeito no futebol do Catar
Se as portas do Vasco já estavam abertas para Juninho Pernambucano, o caminho de volta do Reizinho para São Januário está sendo facilitado pela Penalty. A fornecedora de material esportivo entrou no circuito a fim de repatriar um dos maiores ídolos da história recente do clube. Marcelo Lopes, representante de relações esportivas da empresa no Rio, contou ao iG que o apoiador é a parte mais interessada na negociação. Disse que o acerto está bem encaminhado, sem depender tanto de dinheiro.

Há duas semanas, Lopes esteve com o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, na casa do Juninho, em Recife. A visita teve caráter único de seduzir o craque a participar de um projeto de resgate do clube. A fornecedora de material esportiva vai arcar com parte dos salários do jogador. Em troca, ele será uma espécie de porta-voz da Penalty no Rio e garoto-propaganda da marca.

Juninho tem contrato com o Al-Gharafa, do Qatar, até abril. Aos 36 anos e desanimado com a falta de visibilidade nos Emirados Árabes, o apoiador, sem proposta, decidiu que vai encerrar a carreira caso não acerte com o clube brasileiro. Além da chance de terminar a carreira com prestígio, Juninho nunca escondeu ser torcedor do Vasco. Em constante contato com ex-companheiros e amigos ligados aos bastidores de São Januário, sabe tudo o que se passa na Colina.

“Ele se mostrou preocupado com o Vasco. Foi solícito com o presidente e se colocou à disposição para ajudar a resgatar a imagem do clube”, revelou Marcelo Lopes.

O tom do discurso de Juninho têm uma explicação. Há duas semanas, o Vasco ainda vivia o período de turbulência pós Paulo César Gusmão. Ricardo Gomes não havia assumido e a repercussão era a pior possível em razão de tanta derrota. Segundo o representante da Penalty, o jogador em momento algum exigiu reforços.

“Juninho foi solícito com o presidente o tempo inteiro. A maior demonstração do interesse dele foi não ter falado em valores. Só se falou em dinheiro nas conversas seguintes”, disse o representante da fornecedora de material esportivo.

A Penalty já estuda com o departamento de marketing do Vasco uma ação para explorar as partes envolvidas na operação. Juninho retribuirá a parcela paga pela empresa em campanhas publicitárias. O jogador voltou para o Qatar na semana passada. Tem mais dois meses de compromisso com o Al-Gharafa e, se as conversas avançarem, em abril o Reizinho aterrissará de novo em São Januário.

O tempo de contrato foi discutido no encontro. O apoiador quer firmar compromisso até o fim do Campeonato Brasileiro. Depois disso, só o condicionamento físico poderá responder.

“A intenção dele é sentir como vai estar no Brasileiro. Se for bem, disputará o Carioca de 2012. Mas se achar que não dá mais, para em dezembro”, revelou Marcelo Lopes.
 

Leia tudo sobre: vascojuninho pernambucano

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG