Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Para o Palmeiras, vitória no clássico não salva ano ruim. Opine

Elenco minimiza importância da possibilidade de impedir título do Corinthians, mas torcida trata a partida com decisão de fato

Levi Guimarães, iG São Paulo* |

Alguns torcedores palmeirenses e corintianos costumam dizer que a vitória sobre o grande rival é até mais importante que um título na temporada. Em 2011, o Palmeiras tem a oportunidade de comprovar a teoria. Com a possibilidade de impedir o título brasileiro do Corinthians, o iG pergunta: se isso acontecer, o Palmeiras poderá dizer que teve uma temporada melhor que a do rival, apesar dos maus resultados e de sequer conseguir a classificaçãopara a Libertadores?

[]

Para os torcedores, não há dúvida de que o clássico de domingo será um jogo capaz de estragar o final do ano. Para o Corinthians, ser campeão diante do principal rival seria tão especial quanto seria decepcionante cair diante dele depois de chegar tão perto. E do lado palmeirense, ajudar o "parceiro" Vasco a tirar o título do adversário paulista faria o time terminar em festa um ano tão conturbado.

Impedir o título do Corinthians faria de 2011 um ano melhor para o Palmeiras? Comente .

Mas para os envolvidos na partida, pelo menos do lado palmeirense, esse clima de decisão não é tão forte. "A nossa rivalidade com o Corinthians é muito grande. Sabemos que vencer é importante. Mas nossa vitória servirá apenas para terminar o ano com dignidade, porque eu sei que nossa temporada não foi boa. Temos que mudar bastante no ano que vem", afirmou o volante Marcos Assunção.

Leia também: Desde 2003, liderança do Brasileirão nunca mudou de mãos na última rodada

O discurso sobre mudanças para 2012 é o mesmo feito pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Ele reitera que estragar a festa do Corinthians não seria o suficiente para apagar o mal ano do próprio time. "Não apaga o ano ruim, não. Eu, os jogadores e a comissão técnica sabemos que o Palmeiras precisa melhorar muito, fazer muita coisa diferente do que fizemos em 2011. Não pode passar a borracha, não", disse Felipão.

Mesmo o meia Valdivia, que a princípio disse ser "questão de honra" a vitória no clássico, agora coloca o possível triunfo apenas como uma alegria para o torcedor, mas não como um título simbólico. "Acho que não [melhoraria o balanço de 2011]. A gente tem que ganhar para alegrar o torcedor, mas não apaga o ano, porque não brigamos por título", disse o chileno.

Do lado corintiano, a rivalidade pré-clássico, amplificada pelo título em disputa, foi comentada apenas pelo presidente Andrés Sanchéz, que evitou fazer provocações e disse entender a "fome" do rival em estragar a festa, mas cutucou Valdivia ao dizer que "jogador do nível dele é melhor nem responder". O certo é que, até domingo, as provocações nas ruas, nos bares e nas mídias sociais continuarão dos dois lados. Depois, só um deles poderá rir.

* colaborou: Danilo Lavieri

Leia tudo sobre: brasileirão 2011corinthianspalmeiras

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG