Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Para Leão, virada em Itu é prova de que São Paulo não é uma mentira

"Eu não sabia que o era abril e que o jogo seria no dia 1º. Se perdêssemos, falariam que o time era uma mentira" disse o técnico

Gazeta |

Gazeta Press
Rhodolfo foi um dos nomes da partida, com três gols: um contra e dois a favor
Desde o início da temporada, Emerson Leão sempre definiu que aceitaria ser cobrado por uma equipe ideal no quarto mês do ano. E admite, de forma bem humorada, que temeu por não conseguir cumprir sua promessa ao ver o São Paulo perder o primeiro tempo para o Ituano por 2 a 0 exatamente em 1º de abril, conhecido como dia da mentira. A vitória por 4 a 2, porém, garantiu suas palavras.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Este mês quatro virou um problema. Eu não sabia que o mês quatro era abril e que o jogo seria no dia 1º. Se perdêssemos, falariam que o time era uma mentira. Mas o time confirmou que não é uma mentira, é um time de verdade, com muita vontade para tomar uma decisão", enalteceu o comandante.

Leia mais: Luis Fabiano volta a treinar com time brincando até com "Casemarra"

Embora bastante satisfeito com o rendimento do São Paulo, que acumula nove vitórias consecutivas e perdeu somente uma vez em 2012, para o Corinthians, o treinador se recusa a exagerar nos elogios. "No nosso time ainda falta e sempre vai faltar, espaço sempre vai ter para novos jogos. Mas a maneira que tem se comportado é bem satisfatória", comentou.

Veja também: São Paulo protocola denúncia contra o Inter por aliciamento a Oscar

Ciente de que não pode deixar seus atletas se empolgarem, mesmo com a liderança do Campeonato Paulista e a garantia de passar às quartas de final entre os quatro primeiros colocados se vencer o Mogi Mirim no sábado, Leão diz que o time só faz seu papel. "É simples: o São Paulo é cumpridor de suas obrigações, com objetivo de vitória. Nada mais do que isso", definiu.

Gazeta Press
Zagueiro Thiago Gomes levanta o meia Lucas, do São Paulo

Bastante próximo de uma formação ideal, o chefe, fã do Estadual, segue em sua filosofia de não poupar ninguém ou experimentar novas formações. "Teste não se faz em jogo, se faz em casa. Precisamos de pontos. Quem precisa de pontos, não faz teste", indicou.

"Não poupamos jogadores em jogos, poupamos a equipe nos treinamentos. Não só diminuindo a carga, mas com inteligência. Dosamos os períodos porque o time basicamente já sabe como joga e está cansado de treinar. Às vezes, a repetição atrapalha e às vezes faz falta, mas o ‘time’ agora é de poupar nos treinos", explicou.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG