Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Para Fernando Prass, arma do Vasco contra o Olaria será marcação

Goleiro avisa que só depois de neutralizar as jogadas do adversário é que time usará a criatividade

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

O que fazer para não ser surpreendido novamente pelo Olaria, como aconteceu no domingo, em Macaé? Para chegar à final da Taça Rio contra o vencedor de Flamengo e Fluminense, o Vasco precisa derrotar o modesto rival. Mas, se depender do último confronto, o sonho de quebrar um jejum de oito anos sem vencer o estadual pode parar na equipe da Leopoldina. O empate em 2 a 2 mostrou que o Vasco terá de ser mais organizado para passar de fase.

“A receita é o Vasco encaixar a marcação no adversário para ter a bola e depois e usar a nossa criatividade. Quando você não marca bem o adversário, fica sem um padrão de jogo”, observou Fernando Prass, elogiando o jovem time do Olaria. “Eles vinham de quatro jogos sem sofrer gols, temos que ter cuidado com o time todo, e não com um ou outro jogador para evitar surpresas. O Olaria merece atenção toda especial”.

O jogo será às 18h30, no Engenhão. A torcida vascaína deve ir em número superior a 30 mil pessoas. Apesar do apoio, fato recorrente nas últimas partidas, o mau desempenho no começo do jogo pode se transformar em arma para o adversário. Fernardo Prass pede paciência ao torcedor, afirmando que o time vai buscar a classificação durante os 90 minutos.

“A torcida é o reflexo do time. Se a gente vai mal, ela vaia. E se a gente for bem, ela cresce com a gente e nos incentiva. Sabemos que ela vai comparecer, porque o time está bem, ela confia no grupo e será nossa aliada”, comentou Prass. “Mas se alguma coisa não der certo, o torcedor vai precisar de paciência. Ele tem sido fundamental nos principais e momentos e será desta vez também”, completou o lateral-esquerdo Ramon.

 


 

Leia tudo sobre: vascoramonfernando prasscampeonato carioca 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG