Tamanho do texto

Para o vice-presidente de futebol, Alcides Antunes, time não deve reclamar da atuação da arbitragem no Brasileiro, mas sim lamentar ter de jogar no Engenhão

Enquanto os cruzeirenses seguem revoltados com a arbitragem na partida contra o Corinthians, a diretoria do Fluminense preferiu minimizar o fato e atacou a CBF pelo fechamento do Maracanã antes do fim do Campeonato Brasileiro. Para o vice-presidente de futebol, Alcides Antunes, o tricolor foi prejudicado pela interdição do estádio para o início das obras para a Copa do Mundo de 2014.

"Atento eu estou desde o início do campeonato, nos jogos e sorteios dos árbitros. Eu não vou me pronunciar de uma maneira que o torcedor quer. Não vou entrar em detalhes de arbitragem. Falaram da arbitragem a favor do Corinthians, mas o que mais prejudicou o Fluminense neste Campeonato Brasileiro foi o fechamento do Maracanã antes do previsto", disse o dirigente.

O Maracanã foi fechado no dia 8 de setembro para a realização de reformas para a Copa de 2014. Desde então, Fluminense e Flamengo mandam seus jogos no Engenhão, ou no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, no sul do estado do Rio de Janeiro.

Neste domingo, o tricolor atuou no Engenhão e não passou de um empate por 1 a 1 com o Goiás. Com o resultado, a equipe perdeu a liderança do Campeonato Brasileiro, agora ocupada pelo Corinthians. O Fluminense é dono da segunda colocação do Nacional, com 62 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.