Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Para diretor do Corinthians, não há plano B em caso de eliminação

Roberto de Andrade, diretor de futebol, diz que clube manterá planejamento mesmo com revés contra o Tolima

Bruno Winckler, iG |

A diretoria do Corinthians não tem um plano B para o caso de a equipe não conseguir passar pelo Tolima e assim avançar para a fase de grupos da Libertadores. Confiante na classificação, apesar do mau resultado obtido na quarta-feira no Pacaembu, empate por 0 a 0, o diretor de futebol Roberto de Andrade afirmou nesta quinta-feira que nada mudará no planejamento do clube em caso de eliminação no jogo de volta, marcado para o dia 2 de fevereiro, em Ibagué,

Bruno Winckler
Willian e Ramirez são apresentados pelo diretor Roberto de Andrade

“O Corinthians não vai acabar se perder o jogo. Temos o Brasileiro e o Paulista ainda. Não muda nada nosso plano até porque temos certeza que vamos estar na fase de grupos. Não existe plano B. Estamos nesta competição que é uma pré-entrada para a Libertadores. O plano é para passar e é só isso que a gente pensa”, disse Andrade, após a apresentação oficial do meia Luis Ramirez e do atacante Willian.

O dirigente que chefia o departamento de futebol do Corinthians desde o início de dezembro não teme por uma pressão maior sobre o time e sobre a diretoria em caso de uma eliminação precoce. “A atual gestão fez um bom trabalho. O CT é um fato, está aqui, foi feito na nossa gestão. O fato de ganhar ou perder faz parte, são 100 anos e nesse tempo o Corinthians não ganhou tudo. É normal que a gente ganhe, mas perder faz parte de qualquer competição. O Corinthians muito maior que tudo isso”,

Andrade afirma que o clube não fechou as portas para novos reforços, e afirmou que as buscas por um atacante e por um meia continuam. E continuarão em caso de revés contra o Tolima. "A busca não para, mas não é fácil contratar. Sempre há um problema aqui, outro ali. Mas aconteça o que acontecer vamos continuar buscando grandes jogadores para o ataque e para o meio-campo", disse Andrade, logo após de apresentar um atacante, Willian, e um meia, Luis Ramírez.

O dirigente negou que o clube esteja negociando com Liedson, do Sporting, atacante naturalizado português que defendeu o Corinthians na Libertadores de 2003. Andrade disse também que o clube não aumentará a proposta que fez ao Sevilla para ter Luís Fabiano. O Corinthians ofereceu 7 milhões de euros (R$ 15,6 milhões) aos espanhóis e recebeu uma negativa. "Queremos grandes jogadores, mas nem sempre é possível fechar negócio por uma série de fatores que não dependem do Corinthians", disse Andrade.

Leia tudo sobre: corinthianstolimalibertadoresroberto de andrade

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG