Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Palmeiras só empata com São Caetano e se afasta da liderança

Com resultado deste domingo, equipe do Palestra vai a 29 pontos e cai para o terceiro lugar no Paulista

Gazeta Esportiva |

Diferentemente de 2010, quando foi goleado por 4 a 1 no Palestra Itália, o Palmeiras não perdeu do São Caetano neste domingo. Contudo, a equipe deixou o Anacleto Campanella repleto de torcedores frustrados após um empate por 1 a 1 que o tirou da liderança do Campeonato Paulista.

AE
Kléber teve dia difícil contra a defesa do São Caetano
O resultado faz com que a equipe do Palestra Itália, agora com 29 pontos, abra distância do primeiro lugar e fique atrás de Corinthians e São Paulo ao fim desta 14ª rodada do Estadual. O São Caetano, por sua vez, briga para, finalmente, encostar na zona de classificação para as quartas de final.

A equipe do ABC paulista poderia até der deixado o campo com três pontos. O time de Felipão anulou o sistema defensivo adversário e abriu o placar logo aos seis minutos, com Kleber convertendo pênalti que ele mesmo sofreu. Entretanto, os palmeirenses ficaram presos na marcação do rival, que empatou com Arthur aos 36 minutos do primeiro tempo e só não fez o segundo no fim do jogo porque Deola executou grandes defesas.

O jogo

Sem Valdivia, novamente vetado por lesão muscular na coxa esquerda, Luiz Felipe Scolari teve que reorganizar seu sistema ofensivo. Optou pela entrada de Luan, aberto na esquerda, com Adriano Michael Jackson pela direita e Patrik com a incumbência de levar a bola principalmente para Kleber, livre para se mexer por onde quisesse depois do meio-campo.

nullA disposição tática acabou com a estratégia defensiva do São Caetano. Os três zagueiros da equipe do ABC não conseguiam encaixar a marcação e a transição do quarteto de frente palmeirense, quase sempre auxiliado por Cicinho, deu resultado logo aos cinco minutos, quando Kleber marcou de pênalti após ser derrubado dentro da área pelo lateral Artur.

O São Caetano demorou a encontrar a maneira de coibir as mexidas dos palmeirenses e não levaram mais gols porque Adriano Michael Jackson, quase sempre livre nas costas do zagueiro, não estava em um dia inspirado. Seus companheiros também não souberam aproveitar os levantamentos de Marcos Assunção, possíveis devido às faltas que viraram alternativa para os anfitriões.

No desespero, o time do ABC resolveu transformar seus alas em laterais em uma linha de cinco na defesa e os volantes Augusto Recife e Aílton passaram a guardar posição na retaguarda da equipe. A tática foi suficiente para anular as jogadas do Palmeiras, que tinham como único desafogo os lances individuais de Cicinho.

O problema para Felipão é que Luan não era tão agressivo pela esquerda quanto o lateral direito. Os colegas tinham que encostar no atacante para abrir mais um lado contra o ferrolho da equipe do Anacleto Campanella, mas o que conseguiram foi deixar um espaço à disposição dos donos da casa.

O meia Walter Minhoca ganhou o que queria para ir até o campo de defesa buscar a bola e levá-la para Antônio Flavio ou Eduardo. Um deles sempre estava sem marcação nas costas do lateral esquerdo Gabriel Silva. E o São Caetano passou a ser mais do que um time na retranca, passando a assustar os palmeirenses. Até que Eduardo acertou a trave, arrumou um escanteio e, na cobrança, Artur se redimiu do pênalti cometido e desviou de cabeça para empatar, aos 36 minutos do primeiro tempo.

AE
Arthur marcou e ainda teve chance de virar para o São Caetano

Para ganhar mais na ligação com seus atacantes, isolados em meio a um paredão de homens vestidos de azul, Scolari sacou Adriano Michael Jackson e mandou Tinga a campo no intervalo. Equilibrou mais as ações com a bola no pé e, com paciência, como já havia receitado contra a retranca do Santo André, tentava achar espaço.

Porém, quando o Palmeiras começava a colocar a defesa adversária em apuros, Thiago Heleno se desentendeu na área com Anderson Marques, do São Caetano, antes de uma cobrança de falta de Marcos Assunção. Ambos foram expulsos, aos 18 minutos do segundo tempo.

Para reorganizar sua defesa, Felipão abriu mão de sua válvula de escape e tirou Cicinho para a entrada de Chico. Acabou prendendo seu time atrás, tornando até Luan um autêntico volante, e dando esperança à equipe do ABC, que terminou o confronto com três atacantes. Os anfitriões só não ficaram com três pontos por falhas nas finalizações e porque Deola fez milagres.

Para completar a frustrante tarde dos palmeirenses que dominaram o Anacleto Campanella, Deola discutiu asperamente com Márcio Araújo antes de cobrar um tiro de meta. O entrevero fez com que o árbitro repreendesse ambos enquanto a torcida gritava o nome do goleiro.

FICHA TÉCNICA - SÃO CAETANO 1 X 1 PALMEIRAS

Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul (SP)
Data: 20 de março de 2011, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP)
Assistentes: Celso Barbosa de Oliveira e Carlos Alberto Funari (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Aurélio Sant`anna Martins e Philippe Lombard (ambos de SP)
Público: 9.227 pagantes
Renda: R$ 275.800,00
Cartões amarelos: Artur, Augusto Recife, Thiago Martinelli, Jean Rolt e Henrique Dias (São Caetano); Luan (Palmeiras)
Cartões vermelhos: Anderson Marques (São Caetano); Thiago Heleno (Palmeiras)

GOLS: SÃO CAETANO: Artur, aos 36 minutos do primeiro tempo. PALMEIRAS: Kleber (pênalti), aos seis minutos do primeiro tempo

SÃO CAETANO: Luiz; Thiago Martinelli, Anderson Marques e Jean Rolt; Artur, Augusto Recife, Aílton (Henrique Dias), Walter Minhoca (Kleber) e Bruno; Antônio Flávio (Luciano Mandi) e Eduardo. Técnico: Ademir Fonseca

PALMEIRAS: Deola; Cicinho (Chico), Danilo, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Márcio Araújo, Marcos Assunção e Patrik; Luan (Max Santos), Kleber e Adriano Michael Jackson (Tinga). Técnico: Luiz Felipe Scolari

Leia tudo sobre: campeonato paulista 2011palmeirassão caetano

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG