Roberto Frizzo diz que não entrou em acordo com Corinthians para a escalação de Paulo César de Oliveira

A escolha do árbitro Paulo César de Oliveira para apitar o clássico de domingo contra o Corinthians não deixou o Palmeiras satisfeito.

O vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo, criticou a decisão, especialmente depois da reportagem do “Jornal da Tarde”, que revelou que o juiz já estava escolhido antes mesmo do sorteio acontecer. Segundo o diário, a escolha foi possível graças a um acordo entre os clubes e a Federação Paulista de Futebol (FPF).

“Não falo em esquema, mas a federação precisa entender que por bom senso e ter cuidado redobrado após a reportagem. É preciso um novo sorteio. Não houve acordo, até porque já tivemos problemas com ele”, resumiu Frizzo por telefone.

Mesmo após a reportagem ter revelado antes do sorteio que Paulo César seria escolhido, a FPF exibiu em seu site oficial um vídeo com o sorteio da arbitragem, que contava, entre outras pessoas, com o Coronel Marinho, chefe de arbitragem da entidade.

Mais tarde, se defendeu via comunicado: "Agir com transparência é uma das diretrizes da Federação Paulista de Futebol. E isto também se aplica com relação ao sorteio da arbitragem paulista que, além de ser aberto ao público desde o início deste Campeonato Paulista, também é transmitindo ao vivo no site da entidade. Isto demonstra a preocupação em dar total transparência à escolha do trio de arbitragem que irá trabalhar em cada partida, sem que haja interferência de qualquer parte envolvida. Qualquer afirmação ao contrário é leviana e de má fé", defendeu-se a entidade.

A reportagem também tentou contato com o árbitro Paulo César de Oliveira, mas não obteve sucesso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.