Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Palmeiras procurará novo advogado para definir o futuro da Arena

Em 15 dias, presidente Arnaldo Tirone terá novo parecer sobre cumprimento de cláusulas pela WTorre

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

A reunião do COF (Conselho de Orientação e Fiscalização) do Palmeiras terminou com a determinação de um prazo de mais 15 dias para que Arnaldo Tirone tome uma decisão em relação à Arena. Depois de seis horas de encontro (entre 17h e 23h desta segunda-feira), o presidente do clube foi orientado a procurar mais um escritório de advocacia para definir como ficará a relação entre clube e WTorre, a empresa de engenharia responsável pelas obras. Depois disso, caberá a ele a decisão de entrar ou não na Justiça para romper o vínculo. O COF não tem poder de decisão, apenas de orientação.

Tirone já tem nas mãos dois documentos elaborados por advogados sobre os itens que a companhia não cumpriu. O terceiro parecer servirá como apoio para que os ânimos dos conselheiros mais radicais sejam acalmados com justificativas da WTorre e também para que o clube tenha todas as garantias judiciais necessárias para qualquer decisão que tome.

Durante esse período, Tirone deve sofrer grande pressão de conselheiros que pedem a paralisação desde a primeira reunião, que aconteceu na segunda-feira passada. O grupo mais radical já elaborou uma lista de itens que não foram cumpridos.

Alguns reclamam de que o complexo esportivo será entregue apenas com estrutura metálica e cercada de tela, expondo para todos os que passam na rua as coisas que acontecem internamente. Além disso, constataram que no projeto não há espaço reservado para a sala de troféus, de que o Palmeiras perderá 12 mil metros de área construída em relação ao projeto inicial e que o seguro cobre apenas R$ 32 milhões dos R$ 340 milhões que serão gastos.

Para eles, essas mudanças foram feitas depois da aprovação inicial do projeto, que aconteceu em 2008. E todas essas alterações só poderiam ser realizadas caso uma nova votação entre os associados fosse organizada.

Membros do grupo de oposição, que foram os mesmos que sustentaram a construção da Arena na gestão passada, admitem que Arnaldo Tirone está cada vez menos confiante de que o projeto dará certo e que a consulta a um terceiro advogado serve como sinal disso.

O estádio do Palmeiras já está em ruínas. Não há a menor possibilidade do local receber jogo, uma vez que parte das arquibancadas já está completamente destruída, o gramado já foi retirado de maneira parcial e o acesso está sendo feito por uma portaria improvisada, já que as três entradas tradicionais (duas na Rua Turiassu e uma na Francisco Matarazzo) já se tornaram um canteiro de obras.

Nem mesmo os eventos internos do clube puderam ser realizados na sede. A eleição, que aconteceu no dia 19 de janeiro, e a reunião do COF, feita nesta segunda-feira (28), aconteceram na Academia de Futebol. 

Já a escolha de 76 novos conselheiros, realizada no dia 12 de fevereiro, foi feita no clube e ficou marcada pela grande confusão, com longas filas e outros problemas. 

Leia tudo sobre: palmeirasarena

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG