Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Palmeiras já até doa gramado para Juventus, mas seguro da Arena segue indefinido

Time ainda não entra em acordo com WTorre e seguradora; problema é quem será beneficiário da apólice

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861609007&_c_=MiGComponente_C

O seguro de perfomance ainda não saiu, mas as obras na Arena Palestra seguem firmes. Metade do gramado já foi retirada e foi doada ao Juventus da Mooca, clube de São Paulo que também tem ligação com a colônia italiana. Outra parte do gramado ficou nas mãos da subprefeitura da Lapa.

Além do gramado, a WTorre, empresa de engenharia responsável pela obra, já demoliu algumas casas no entorno e o principal ginásio do clube. O Palestra Itália também já teve concluída a remoção das cadeiras das numeradas e do setor Visa e do banco de reservas.

Apesar de obras seguirem firmes, a indefinição burocrática continua. O seguro de perfomance, que será feito junto à seguradora UBF, ainda não foi concluído. Um impasse por conta de quem fica como beneficiário trava o processo.

Atualmente, o documento prevê o Banco do Brasil, que fará o financiamento da primeira metade das obras, como recebedor dessa verba. Dirigentes querem que a documentação coloque o Palmeiras como beneficiário.

Em contato com a reportagem, o diretor administrativo José Cyrillo Jr., e o assessor especial da presidência Antônio Carlos Corcione afirmam que ainda não há novidades para a apólice. Corcione apenas confirmou as doações do gramado.

Leia tudo sobre: futebolpalmeiras

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG