Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Palmeiras faz 2 a 0 na Portuguesa e continua na cola do Santos

Com quatro vitórias e um empate, equipe soma 13 pontos e está atrás do Santos apenas no saldo de gols

Gazeta |

O Palmeiras continua firme na briga com o Santos pela liderança do Campeonato Paulista. Na tarde deste domingo, a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari só engrenou no segundo tempo, depois das entradas de Patrik e Max Santos, chegou a desperdiçar várias oportunidades, mas foi premiada no fim com um lindo gol de Cicinho para vencer a Portuguesa por 2 a 0, no Canindé.

Na classificação, com quatro vitórias e um empate, o Palmeiras soma 13 pontos e está atrás do Santos apenas pelo saldo de gols. Já a Lusa soma sete pontos e está em colocação intermediária. O clássico do Canindé teve presença soberana da torcida palmeirense. Em campo, o equilíbrio foi a tônica nos 45 minutos iniciais. No primeiro tempo, os times pecaram pela cautela excessiva e criaram pouco. Na etapa final, as investidas aumentaram. A Lusa começou melhor, mas o Palmeiras se acertou com as entradas de Patrik e Max Santos.

Na próxima rodada do Campeonato Paulista, o Palmeiras atua mais uma vez fora de casa. Na quarta-feira, o Verdão joga diante do Mirassol, às 22 horas, no interior paulista. No mesmo dia, porém um pouco mais cedo (19h30), a Portuguesa recebe o Americana, uma das surpresas do torneio, na capital paulista.

null

O Jogo

O respeito foi a tônica do início da partida no Canindé. Os dois times tocavam a bola com calma, evitando grandes riscos. A Portuguesa apresentava suas investidas basicamente pelo lado esquerdo, com o lateral Marcelo Cordeiro. Já o Palmeiras realizava uma marcação no campo do rival e apostava na velocidade quando tinha a bola nos pés.

Sem espaços na defesa alviverde, a Portuguesa começou a apostar em chutes de longa distância. Aos 18 minutos, os donos da casa criaram o primeiro momento de emoção. No arremate venenoso de Guilherme, Marcos usou toda a sua experiência para desviar a bola pela linha de fundo.

O Palmeiras respondeu rapidamente. Aos 23 minutos, o time de Luiz Felipe Scolari finalmente conseguiu trocar passes na entrada da área da Lusa. Na conclusão do lance, Rivaldo recebeu livre na área e se assustou com a saída do goleiro Weverton. O resultado: chutou pela linha de fundo.

O jogo continua, todavia, preso. Sem criatividade, a Portuguesa pecava pela falta de paciência para trabalhar as jogadas e começou a chutar de qualquer maneira para o gol. A conclusão de Ferdinando, aos 32 minutos, saiu quase pela linha lateral.

nullPouco antes do intervalo, a Portuguesa deu fim ao marasmo em campo e teve a melhor chance do primeiro tempo. Henrique aproveitou passe de Héverton e, nas costas da zaga, exagerou na ousadia ao tentar um golaço por cobertura em Marcos. Bem colocado, o goleiro pentacampeão mundial levantou o braço esquerdo para desviar a bola antes da defesa definitiva.

No segundo tempo, Felipão apelou para a entrada do jovem Patrik, destaque nas últimas duas partidas do Palmeiras. Dinei acabou sacado da equipe. Porém, foi a Portuguesa que tomou a iniciativa na volta do intervalo. Aos cinco minutos, Marcos trabalhou de novo com eficiência na cobrança de falta de Ferdinando.

Preocupado com o bom ritmo da Lusa, Felipão trocou de novo e colocou Max Santos, o Pardalzinho, para ganhar velocidade. A substituição deu resultado imediato. No primeiro lance, o ex-jogador do Vila Nova-GO já deixou dois adversários para trás, mas pecou na finalização. A torcida alviverde acordou. Logo em seguida, o atacante cruzou da esquerda e o gol só não saiu porque Tinga furou dentro da área.

A partir dos 20 minutos, a qualidade do jogo voltou a cair. Em busca da vitória, Felipão fez a última tentativa com outro estreante: Adriano no lugar de Tinga. Com a mudança, o Verdão voltou a criar. Em dois minutos, o time visitante perdeu outras duas chances com Kleber e Patrik. O gol estava perto.

No fim, o Palmeiras acabou premiado pela ousadia. Aos 36 minutos, Cicinho acertou um lindo chute da direita e marcou o primeiro. Nos acréscimos, Kleber definiu a vitória com um chute da entrada da área.
 

Futura Press
Palmeirense Tinga disputa jogada com Domingos, da Portuguesa, na vitória do Palmeiras no estádio do Canindé
FICHA TÉCNICA
PORTUGUESA x PALMEIRAS

Local: Estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Data: 30 de janeiro de 2011, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Renda: R$ 224.520,00
Público: 9.304 espectadores
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Luis Alexandre Nilsen e Marcio Jacob
Assistentes adicionais: Antonio Rogério Batista do Prado e Márcio Roberto Soares
Cartões amarelos: Preto Costa e Domingos (Portuguesa); Kleber e João Vitor (Palmeiras)
Gols:
PALMEIRAS:
Cicinho, aos 36, Kleber, aos 47 minutos do segundo tempo

PORTUGUESA: Weverton; Paulo Sérgio (Rafael Silva), Domingos, Preto Costa e Marcelo Cordeiro; Ferdinando, Guilherme, Ademir Sopa e Henrique (Dinei); Héverton e Luis Ricardo.
Técnico: Sérgio Guedes.

PALMEIRAS: Marcos; Cicinho, Maurício Ramos, Thiago Heleno e Rivaldo; João Vitor, Márcio Araújo, Tinga (Adriano) e Luan (Max Santos); Kleber e Dinei (Patrik)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Leia tudo sobre: PalmeirasCampeonato Paulista 2011Portuguesa

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG