Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

No fim, Palmeiras estraga festa de aniversário de Neymar

Atacante do Santos marca o centésimo gol da carreira, mas, com virada espetacular no fim da etapa final, Palmeiras vence por 2 a 1

iG São Paulo |

A festa pelo vigésimo aniversário do atacante Neymar parecia perfeita. Com o 100° gol da carreira do camisa 11, o Santos vencia o clássico contra o Palmeiras até os 43 minutos do segundo tempo. No entanto, com gols de Fernandão e Juninho, o time do Palestra Itália virou o marcador e garantiu a vitória por 2 a 1, neste domingo, em Presidente Prudente.

Com o resultado, o Palmeiras, mais uma vez, confirma a fama de carrasco de Neymar. Nos últimos sete clássicos com o atacante santista em campo, a equipe do Palestra Itália venceu cinco e empatou dois.

Agora, pela próxima rodada do Campeonato Paulista, o Palmeiras recebe o XV de Piracicaba, na quarta-feira, às 21h50 (horário de Brasília), no Pacaembu. Já o Santos, na quinta-feira, às 21h, enfrenta o Botafogo de Ribeirão Preto, no Estádio Santa Cruz.
 
O clássico:

Apesar da discussão com Elano, na última quinta-feira, depois do empate contra o Oeste, o técnico Muricy Ramalho manteve o meia no time titular. Já Luiz Felipe Scolari, preocupado com o poder ofensivo do rival, reforçou a marcação e escalou o time com o volante João Vitor na vaga do meia Patrik.

Apostando suas fichas nas jogadas armadas por Valdivia, o Palmeiras criou o primeiro lance de perigo aos seis minutos O chileno achou o atacante Luan livre dentro da área, mas o goleiro Rafael conseguiu afastar o perigo.

Apenas aos 20 minutos, o Santos ameaçou a meta defendida por Deola. Depois de troca de passes entre Neymar e Ganso, Elano recebeu a bola e soltou a bomba cruzada de fora da área. Ligado no lance, o goleiro palmeirense, com as pontas dos dedos, mandou para fora.

Por causa do forte calor em Presidente Prudente, as duas equipes diminuíram o ritmo e passaram quase 20 minutos sem criar nada. No fim da primeira etapa, Valdivia sentiu lesão na coxa direita e foi substituído por Daniel Carvalho. Em sua primeira jogada no clássico aos 43, o camisa 83 do Palmeiras fez fila e parou na boa defesa de Rafael.

Na saída para o intervalo, Neymar reclamou do calor e falou sobre as seis faltas sofridas. “Está muito quente e horrível para jogar. Sobre as faltas, não tenho muita coisa para falar, mas está complicado”, disse o camisa 11.

Na volta para o segundo tempo, Muricy Ramalho sacou o atacante Borges, com dores musculares, para a entrada de Alan Kardec, autor de quatro dos seis gols da equipe na competição.

Com o freio de mão puxado, Santos e Palmeiras seguiram sem atacar durante os primeiros minutos. Apenas em jogada de bola parada aos 12, a equipe de Luiz Felipe Scolari arriscou o primeiro chute, com Marcos Assunção.

Diferentemente da primeira etapa, quando as equipes voltaram pior após a parada técnica para beber água, o descanso na etapa final ajudou.

Aos 23, Marcos Assunção cruzou na segunda trave, Luan bateu de primeira e Rafael fez boa defesa.
No minuto seguinte, Ganso cobrou falta na área e Neymar testou com estilo no canto, sem chance para o goleiro Deola: 1 a 0.

Com a desvantagem no placar, o Palmeiras não perdeu tempo e foi para cima. Aos 27, Daniel Carvalho deu passe açucarado para Maikon Leite. O atacante invadiu a área e tocou por cima de Rafael. No entanto, quase em cima da linha, Maranhão cortou para fora.

Nos minutos finais, Ibson foi exppulos. E, aos 43 minutos, Marcos Assunção cobrou escanteio e Fernandão, de cabeça, deixou tudo igual. Depois, aos 46, quando tudo indicava que o clássico terminaria empatado, Juninho cruzou rasteiro, a bola bateu em Maranhão e morreu no fundo do gol: 2 a 1.
 

FICHA TÉCNICA - SANTOS 1 X 2 PALMEIRAS
Local: Estádio Prudentão, em Presidente Prudente (SP)
Data: 5 de fevereiro de 2012, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Fábio Rogério Baesteiro (SP)
Renda: R$ 705.260
Público: 25.933 pagantes
Cartões amarelos: Neymar e Pará (Santos); Cicinho (Palmeiras)
Cartão vermelho: Ibson (Santos)
Gols: Neymar aos 24, Fernandão aos 43 e Juninho aos 46 minutos do 2º tempo
 
SANTOS: Rafael, Maranhão, Bruno Rodrigo, Durval e Pará; Arouca, Henrique, Elano (Ibson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec)
Técnico: Muricy Ramalho

PALMEIRAS: Deola; Cicinho (Ricardo Bueno), Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Márcio Aráujo, Marcos Assunção, João Vitor e Valdivia (Daniel Carvalho); Luan (Maikon Leite) e Fernandão
Técnico: Felipão

 

Leia tudo sobre: PalmeirasSantos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG