Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Palmeiras deve fechar seguro da Arena no último dia possível

Conselho fiscal exigiu que WTorre mudasse termo da primeira apólice de seguro e o prazo dado foi o dia 16, terça-feira. Clube garante que respeitará a data

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860281880&_c_=MiGComponente_C

O Palmeiras deve conseguir resolver o último problema burocrático da Arena exatamente no último dia possível. A WTorre fará um segundo seguro de perfomance e colocará o clube como beneficiário. O prazo dado pelo COF (Conselho de Orientação e Fiscalização) para que o documento apareça é o dia 16 de novembro.

Como o próximo dia útil é exatamente terça-feira, dia 16, a solução virá em cima da hora. Caso a regularização não saia a tempo, a obra é paralisada, fato que não assusta a diretoria do Palmeiras. 

Esse seguro está na saindo do forno. Acredito que não há motivos para nos preocupar. O COF vai ter o seguro na data estipulada, disse o diretor de planejamento do Palmeiras, José Cyrillo Júnior.

O impasse já dura cerca de um mês e só aconteceu por causa da primeira apólice que foi feita pela empresa de engenharia. No documento, constava que o beneficiário era o Banco do Brasil, que financiará a primeira metade das obras. Dirigentes do clube consideravam perigoso aceitar este tipo de acordo e exigiram que o Palmeiras que recebesse a verba caso algo desse errado.

Representado por um advogado indicado pelo presidente do COF, Augusto Pompeu de Toledo, o Palmeiras conversou durante vários dias com o setor jurídico da WTorre para tentar mudar o contrato, mas isso não foi possível. 

Segundo o vice-presidente da seguradora UBF, Luiz Alberto Pestana, assim que for dado o "ok" da WTorre, a apólice do seguro é emitida em um dia. 

Mesmo sem o seguro, a WTorre já havia começado as obras, o que gerou muitas críticas dentro do clube, principalmente da oposição. O principal ginásio do clube, casas vizinhas, torres de iluminação e metade do gramado já passaram pelas obras. 

A previsão é de que o estádio fique pronto em meados de 2013 e será usado para a Copa das Confederações. O orçamento está em R$ 330 milhões, mas o Palmeiras não usará dinheiro de sua verba. Em troca disso, a WTorre explorará os direitos comerciais do local por 30 anos.

*colaborou Bruno Winckler

Leia tudo sobre: campeonato brasileirocopa 2014palmeiras

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG