Tamanho do texto

Time encara torneio como 1º Mundial Interclubes da história e minimiza falta de reconhecimento da Fifa

Há exatamente 60 anos, os palmeirenses comemoravam o título do 1º mundial de clubes. Pelo menos é essa a frase que dirigentes do time do Palestra Itália afirmam sem medo, independente da Fifa reconhecer a conquista ou não. No dia 22 de julho de 1951, o Palmeiras empatava por 2 a 2 contra o Juventus, no Maracanã com mais de 100 mil pessoas presentes, e levantou a taça após vencer o jogo de ida por 1 a 0.

Os gols foram marcados por Liminha e Rodrigues no lado palmeirense e por Praest e Bonipertti no lado italiano. Na ida, o gol foi de Rodrigues e a partida aconteceu em São Paulo.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

Fernando Razzo Galuppo é historiador do Palmeiras e escreveu o livro “Palmeiras Campeão do Mundo 1951, lançado na última segunda-feira. Para ele, pouco importa se a Fifa coloque o time como campeão no seu site oficial.

Livro retrata história da Copa Rio
Divulgação
Livro retrata história da Copa Rio
“O palmeirense deveria se orgulhar de ser campeão pelo fato de que a conquista foi um dos maiores eventos esportivos da época, organizado tanto pela CDB quanto pela Fifa e foi a primeira competição do gênero, envolvendo uma dispiuta entre clubes. Só o fato da Fifa ter organizado há 60 anos, dá para caracterizar a importância da competição e a ajuda na validação dela. Não cabe ao Palmeiras julgar e pedir algo que já é de fato consolidado e encarado historicamente como tal”, explica Galuppo.

Galuppo ainda cita o papel do Palmeiras em diminuir a tristeza da derrota brasileira em pleno Maracanã lotado contra o Uruguai. Segundo o historiador, 1 milhão de pessoas comemoraram a conquista nas ruas, em uma manifestação popular inédita até então. A cobertura da imprensa, também segundo ele, foi no mesmo nível da Copa do Mundo, com 300 jornalistas credenciados.

Coloque seu time em 1º lugar no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte

O vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo, foi um dos dirigentes que também participaram ativamente do envio do documento à Fifa pedindo pelo reconhecimento. Em 2007, um fax chegou ao Palmeiras, reconhecendo que o clube era, de fato, o 1º campeão mundial de clubes. O anúncio provocou uma série de manifestações por parte de outros clubes que já haviam levantado taças no mesmo estilo, o que fez a Fifa recuar na decisão. Depois, o Corinthians foi colocado pela entidade máxima do futebol como o 1º campeão de um campeonato desse gênero.

“A Fifa não voltou atrás. Ela mandou um comunicado para a CBF dizendo que entendia que aquele teria sido o primeiro mundial interclubes. É muito difícil você pegar uma coisa de 1951 e, 50 anos depois, mandar a documentação. Mas eles anunciaram, sim, que éramos campeões mundiais. Nunca houve uma negativa da Fifa, o que houve é que eles anunciam no site de quem eles colocam só a partir de 2000. Aquele torneio atendeu todos os indicadores que era um mundial interclubes e a Fifa que coordenou aquilo", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.