Tamanho do texto

Clube apostava que tudo seria resolvido a tempo, assim como aconteceu com parceria com a Skill

A BMG ainda não vai aparecer na camisa do Palmeiras neste domingo no clássico contra o Corinthians. A oficialização do acordo e a estreia no uniforme foram adiadas por conta de detalhes que a diretoria do clube pretendia resolver até este fim de semana, assim como aconteceu com a Skill, escola de inglês que foi anunciada como nova patrocinadora da barra frontal da vestimenta .

Os dirigentes do Palmeiras ainda não sabem, por exemplo, qual a cor do logotipo que entrará na camisa e ainda discutem se o prazo do acordo, que inicialmente seria de um ano, será de duas temporadas. Os patrocínios foram divulgados pelo iG na terça-feira .

A cor do logotipo, aliás, já foi motivo de discussão em vários fóruns da internet de torcedores que temem que o tradicional laranja da BMG torne o uniforme muito feio. No passado, inclusive, os palmeirenses conseguiram mudar a forma de intervenção da Suvinil e da Unimed no uniforme. A marca de ambas as empresas foram motivos de discussão e o logotipo acabou trocado para o branco, deixando cores que apareceriam mais de lado.

O acordo com a BMG vai servir para amortizar a dívida que o clube tem com o banco . São cerca de R$ 25 milhões que foram adquiridos em empréstimos na gestão de quando Luiz Gonzaga Belluzzo. Parte dos dividendos, inclusive, já viraram motivo para uma reclamação formal da instituicao financeira no Serasa .

Assim como a Skill, a BMG vai ganhar espaço no backdrop de entrevistas do Palmeiras. A marca do Avanti foi retirada do local dias após o programa ter sido paralisado.