Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Pai e campeão mundial sub-20, Allan agora sonha com Londres 2012

Meia vascaíno quer prolongar boa fase na vida pessoal e na carreira e já pensa nos Jogos Olímpicos

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

O que parecia um ano sem ambições para Allan acabou se transformando num divisor de águas na carreira do jovem meia do Vasco . Reserva de um time que apenas fazia figuração no Campeonato Carioca, viu o mundo dar a volta por cima a partir de fevereiro. Duas coisas foram fundamentais para a mudança: a gravidez da namorada Thais e a chegada do técnico Ricardo Gomes.

Siga o iG Vasco no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

AE
Juninho Pernambucano pede para a torcida aplaudir o jovem Allan
Vieram, na sequência, a oportunidade de atuar como lateral-direito e ser campeão da Copa do Brasil , a convocação para o Mundial sub-20 e o título na Colômbia . Agora, enquanto aguarda a chegada do herdeiro Miguel, previsto para outubro, ele sonha com a seleção olímpica.

Entre para a Torcida Virtual do Vasco e convide seus amigos

“Estou muito feliz hoje, e agora é aproveitar ao máximo as coisas boas que têm acontecido e dar continuidade para entrar no grupo olímpico. Mas procuro primeiro pensar no hoje, porque indo bem no Vasco e fazendo um bom Brasileiro, a chance vai surgir”, diz Alan.

Aos 20 anos, o meia tem esperança de ser convocado para os Jogos de Londres, em 2012. Sob a batuta de Ney Franco, na Colômbia, teve paciência para esperar a sua vez. Acabou sendo utilizado pelo treinador e hoje festeja o pentacampeonato da categoria.

No Vasco, recorda, ocorreu o mesmo. Alan era o mais jovem do grupo e quanto a diretoria passou a reforçar o elenco, o setor mais forte foi o meio de campo: Felipe, Juninho Pernambucano, Diego Souza, Fellipe Bastos, Eduardo Costa e outros. Mas lhe foi dada a chance na lateral direita e ele não decepcionou. Aproveitou bem a chance após a lesão de Fágner e não saiu mais.

Diante de um quadro de renovação na seleção e por ter trabalhado com profissionais que estarão em Londres no ano que vem, ele alimenta a esperança de colocar no peito a inédita medalha olímpica.

“Espero prolongar esta sensação por mais tempo. Saí da seleção com um gostinho especial. Peguei a camisa, pedi para todos autografarem e guardei. Vou guardar. A cabeça hoje está no Vasco novamente, mas sei que se continuar trabalhando sério, posso conquistar outras coisas. E a Olimpíada é um sonho também”.

 


 

Leia tudo sobre: vascoallan

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG