Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Ortega diz que Passarella, presidente do River, se acha Deus

De acordo com o meia e ídolo do clube, o dirigente "trata as pessoas como se fossem lixo"

Gazeta |

Ídolo do River Plate, o meia Ariel Ortega não participou do inédito rebaixamento do clube porque foi emprestado ao Club Atlético All Boys, também do Campeonato Argentino. Mas o veterano diz que chorou, principalmente por saber o culpado pela tristeza: o ex-zagueiro e presidente do clube, Daniel Passarella.

"O presidente acredita que é Deus, trata as pessoas como se fossem lixo. Todos somos seres humanos, merecemos respeito", reclamou Ortega à rádio argentina La Red. "Fui para o All Boys por causa do Passarella e do J. J. Lopez", continuou, reclamando também do técnico.

Antes de reencontrar Passarella como dirigente, que também é ídolo do River Plate por seu desempenho como zagueiro - foi ainda o capitão da seleção campeã da Copa do Mundo em 1978, na Argentina -, Ortega já havia trabalhado com ele. Em 1998, Passarella comandou a seleção no Mundial na França e escalou Ortega como o primeiro camisa 10 do país em uma Copa depois de Maradona.

São as primeiras declarações públicas do ex-jogador da seleção argentina sobre o rebaixamento do River Plate. E ele alega ter sofrido tanto como os outros torcedores do clube. "Não estava acreditando, comecei a chorar. Jamais imaginei que veria o River na segunda divisão", lamentou.

Aos 37 anos, Ortega está sem clube, mas se recusa a anunciar sua aposentadoria. O meio-campista pretende atuar na próxima temporada do Campeonato Argentino.

Leia tudo sobre: river plateargentinafutebol mundial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG