Cinco facções assinaram o documento, que foi entregue ao capitão Fábio na Toca da Raposa II

Se os últimos dias foram de protestos da torcida por conta dos maus resultados do Cruzeiro no Brasileirão, os atletas do time mineiro receberam uma manifestação de apoio nessa sexta-feira. Cinco das principais torcidas organizadas do clube assinaram uma carta de apoio ao time, documento entregue para o goleiro Fábio na Toca da Raposa II.

Os muros da Toca da Raposa II foram recentemente pichados , com ameças ao presidente Zezé Perrella caso o time mineiro seja rebaixado. Mas, com a chegada do técnico Vágner Mancini, parece que as organizadas decidiram mudar a estratégia e apoiar o time.

Confira a carta na íntegra:

Guerreiros Celestes, nós torcedores cruzeirenses, verdadeiros representantes desta nação de 8 milhões de torcedores, viemos lhes dizer que quando entrarem em campo nesta reta final de campeonato, tenham certeza que não estarão sozinhos, sempre fomos o camisa 12, sempre fomos a única torcida de Minas a empurrar seu clube para conquistas além das montanhas de Minas, sempre fomos desde a época de Niginho, Tostão, Piazza, Joãozinho, Sorín, a melhor e maior expressão de amor ao seu clube, por isso somos incontestavelmente a maior torcida das Alterosas.

A China Azul já foi imortalizada, por isso sintam-se verdadeiramente como se fossem um de nós e imortalizem este momento na história do Cruzeiro.

Jogadores e torcida, irmãos em um só objetivo: Elevar a grandeza de nosso querido Palestra!

Por isso irmãos Cruzeirenses, uniremo-nos em uma só frente!
O Cruzeiro sou eu, meu irmão, minha avó, meu falecido avô, o motorista do ônibus que me leva ao trabalho, o Senhor que compro o jornal todas às manhãs, o Cruzeiro também é você Guerreiro!

O Cruzeiro é Minas Gerais!
Força, torcida! Força, guerreiros! Força, Cruzeiro!
E que ninguém ouse ficar em nosso caminho!
Cruzeiro querido, tão combatido, jamais vencido!

Torcida Jovem
Pavilhão Independente
Fúria Azurra
Fanáti-Cruz
Máfia Azul

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.