Tamanho do texto

Preocupação dos jogadores é impedir que grupo se iluda e volte a cometer erros na Taça Rio e Copa do Brasil

Aprender com os erros do passado. Este é o lema do Vasco para tentar fazer bonito na Taça Rio. Depois da goleada de 9 a 0 sobre o América, no sábado, o clima em São Januário é outro. O desânimo do primeiro turno, quando amargou quatro derrotas seguidas, deu lugar à euforia. Mas a ordem em São Januário é manter os pés no chão. O exemplo vem de um passado recente: em 2010, o time goleou o Botafogo por 6 a 0 na Taça Guanabara, mas sequer se classificou para as finais do Campeonato Carioca.

O meia Felipe Bastos não estava na Colina no ano passado, mas adverte: o resultado do fim de semana não pode criar clima de acomodação.

“Foi apenas uma vitória, mais nada. E, no ano passado, o time ainda tinha ido à final da Taça Guanabara. Este ano, não. Fomos muito mal no primeiro turno e temos, como questão de honra, dar a volta por cima no segundo turno”, reagiu Felipe Bastos.

Jeferson endossa as palavras do companheiro. Não é todo dia que se vence por um placar tão elástico, mas, no grupo, a vitória simples é o que vale. Para o jogador, o resultado contra o América não vai iludir integrantes da comissão técnica e elenco. Antes da partida, falou-se da importância da vitória no encerramento da Taça GB para o time entrar no segundo turno sem o fantasma das derrotas. Com a confiança de volta, a expectativa é de um time leve e motivado.

“Foi mais uma vitória. Vamos manter os pés no chão. Era um resultado que a gente tanto queria, ela veio de forma inesperada, com uma goleada, mas nada vai mudar aqui. Não vamos achar que ganhamos alguma coisa porque não ganhamos nada”, comentou Jeferson.