Tamanho do texto

Chefe-executivo da Liga, Richard Scudamore diz confiar que os outros nove jogos serão realizados sem problemas

Getty Images
Bairro de Tottenham foi um dos mais atingidos pela onda de violência em Londres
A onda de violência que tomou conta de Londres e de outras cidades inglesas desde sábado continua atrapalhando o futebol local. Após cancelar o amistoso entre Inglaterra e Holanda , na última quarta-feira, em Wembley, os distúrbios fizeram com que a Premier League adiasse a partida entre Tottenham e Everton, marcada para White Hart Lane, zona norte da capital, no sábado, válida pela primeira rodada do Campeonato Inglês.

O chefe-executivo da liga, Richard Scudamore, disse confiar que os outros nove jogos serão realizados sem problemas, apesar de os protestos terem afetado cidades como Liverpool e Manchester. "A polícia fez um trabalho fantástico, mas foi uma cena do crime a semana inteira e o conselho não teve tempo suficiente para fazer o que precisa. Os outros nove jogos parecem positivos, mas estão sujeitos a qualquer problema. É uma pena o jogo do Tottenham, mas apoiamos o que a polícia está fazendo. Eles queriam essa partida tanto quanto nós", afirmou.

O Tottenham enviou um comunicado por meio de seu site oficial pedindo desculpas aos torcedores por quaisquer inconvenientes e lembrando que a decisão estava fora das mãos do clube. Ele explicou que a medida foi tomada por preocupações de segurança e infraestrutura.

Os jogadores do Everton apoiaram a decisão, como o defensor Phil Neville. Ele apenas lamentou ter desperdiçado o treinamento. "Sinto que é a decisão correta devido às circunstâncias. Estou deprimido por ter treinado seis semanas para o jogo de sábado, mas sei que a decisão é 100% certa", comentou o capitão do time no Twitter. O atacante Louis Saha também gostou do adiamento e desejou melhoras aos que estão feridos.

Motivada pelo assassinato de um jovem pela polícia, a onda de violência e saques começou no último sábado. Em Londres, cerca de 888 pessoas já foram detidas. Três homens asiáticos foram atropelados por um veículo enquanto protegiam sua residência. A polícia trata o caso como homicídio e investiga um suspeito de 32 anos.

Após uma noite de quarta-feira calma, também devido à forte chuva que caiu no país, o primeiro-ministro David Cameron discursou no Parlamento Britânico. Ele chamou os distúrbios de "injustificáveis" e exaltou o trabalho da polícia. A Inglaterra vai buscar ajuda nos Estados Unidos, mais acostumados a lidar com gangues.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.