Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Odone repete discurso de presidente rebaixado no Grêmio

Após queda na Libertadores, atual comandante exaltou "imortalidade" e construção de estádio

iG Porto Alegre |

Além do rebaixamento à Série B, os gremistas não gostam de lembrar a temporada 2004 pelos discursos do então presidente Flávio Obino. A cada derrota naquele Brasileirão, foram 25 em 46 partidas, o dirigente tentava mascarar a situação do Grêmio com feitos administrativos da sua gestão – embora a importância deles fossem discutíveis.

Então, a exaltação do site do clube e de um ônibus comprado para as viagens da delegação ganhavam as manchete após cada insucesso dentro de campo. Pois Paulo Odone, atual presidente, repetiu a estratégia após a eliminação na Libertadores para o Universidad Católica, quarta-feira, em Santiago.

Perguntado sobre a falta de títulos, o último importante foi a Copa do Brasil de 2001, Odone disse que voltou ao clube (é a quinta passagem) para, primeiramente, terminar de construir a Arena, o novo estádio gremista:

"Meu objetivo é entregar ao Grêmio a Arena construída. Nela, quem sabe, com um grande título. Este é o objetivo".

Ao evitar falar dos problemas em campo, o presidente disse que o clube ainda se recupera do rebaixamento embora esteja de volta à Série A há cinco anos.

"O Grêmio estava no buraco e ainda sente os efeitos. Só agora voltamos a ter um pouco de saúde financeira", comparou.

Odone também negou que a "imortalidade", adjetivo eternizado no hino do clube, seja usada para mascarar a situação difícil em determinados confrontos.

"Ela está na boca do povo. O torcedor se orgulha. Ninguém vai nos tirar isso", finalizou.

Leia tudo sobre: grêmiopaulo odonepresidente

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG