Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

O “paizão” Cuca costuma perdoar no Cruzeiro

Treinador tem dado chances a jogadores que já “pisaram na bola” e voltaram a desempenhar bom futebol

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

O técnico Cuca é considerado uma espécie de “paizão” pelos jogadores do Cruzeiro. Nessa temporada, não são raros os casos de jogadores que estão aproveitando os “perdões” do treinador. Roger, Fabrício e agora Diego Renan são exemplos de atletas que passaram por situações complicadas e que acabaram tendo a situação reavaliada pelo técnico celeste.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Com a contusão de Vítor, o lateral Diego Renan passou a ser uma opção para o lado direito no jogo contra o América-MG. O jogador foi titular pela última vez na semifinal do Campeonato Mineiro contra o América-TO, no dia 1º de maio. De lá para cá, o jogador chegou a reclamar da condição de reserva via assessor de imprensa e Cuca chegou a cortar seu nome do jogo contra o Once Caldas, pela Libertadores.

Vipcomm
Em meio à crise no Cruzeiro, Cuca recebeu várias manifestações de apoio dos jogadores

Entre para a Torcida Virtual do Cruzeiro e convide seus amigos

No início da semana, Cuca disse que o jogador tem a sua confiança e poderia voltar a ser titular. “Vamos analisar o Diego Renan, ver se ele tem condição de jogar os 90 minutos. Diego sabe jogar na lateral-direita. Tem a nossa confiança, estava fora por lesão, fez um grande treinamento. Vamos ver a sequência da semana para ver se ele joga”, disse o treinador.

O lateral até que estava nos planos do treinador para a partida contra o América-MG, mas foi vetado pelo departamento de fisiologia do clube por ainda não reunir condições físicas ideais. O lateral Pablo deve ser o titular.

Outros perdões
O volante Fabrício se mostrou insatisfeito pelo corte da partida contra o Fluminense e reclamou pela imprensa. Cuca amenizou a situação. “O Fabrício é um jogador que teve uma lesão gravíssima, vem de um tempo de recuperação. Eu adoro o Fabrício, eu o levei para os dois jogos contra o Atlético-MG até de forma antecipada. Eu o pus para jogar nas duas partidas, tamanha é a importância dele para nós todos”, amenizou o treinador.

No início da temporada, foi a vez de Roger reclamar de não ter sido titular nos primeiros jogos. Depois do título sobre o Atlético-MG no Campeonato Mineiro, Cuca disse que é até amigo do meia.

“Pensei muito em colocar o Roger, mas senti que ele era o que mais sentiu a derrota (no primeiro jogo da final). Colocar ele iria expor a xingamento e seria pior. No vestiário, disse a ele que jogaria no próximo jogo. Ele se preparou a semana toda. Não persigo ele, é meu amigo”, explicou.
 

Leia tudo sobre: CruzeiroBrasileirão 2011Cuca

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG