Tamanho do texto

Secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke negou boatos de ameaça da entidade ao governo federal

Getty Images
"O que estamos pedindo ao Brasil é normal. É o que pedimos à África do Sul e não é menos do que pediremos à Rússia", diz Valcke
Após encontro entre dirigentes da Fifa e representantes do governo federal , nesta segunda-feira, em Bruxelas, o secretário-geral da entidade máxima do futebol, Jérôme Valcke, negou os boatos de que a Copa do Mundo de 2014 poderia deixar de ser realizada no Brasil.

“Nunca discutimos a possibilidade de tirar a Copa do Brasil”, afirmou Valcke, depois da reunião com a presidenta Dilma Rousseff e o ministro do esporte, Orlando Silva. O governo federal prometeu no encontro que haverá uma revisão do texto da Lei Geral da Copa , que já foi assinada pela presidenta e enviada ao Congresso Nacional. Representantes da Fifa irão a Brasília, onde haverá novo encontro com o governo federal.

A Fifa não gostou do projeto de lei do governo , criado para dar garantias à entidade que organiza o Mundial. Proteção de marcas, direito de transmissão e venda de ingressos são os pontos de discórdia.

"O que estamos pedindo ao Brasil é normal. É o que pedimos à África do Sul e não é menos do que pediremos à Rússia", afirmou Valcke. “Da parte da Fifa, reconhecemos e respeitamos as leis brasileiras, e o país reconhece e respeita os acordos feitos para sediar o evento. Quero deixar claro que os brasileiros terão acesso aos jogos, não apenas os ricos”, completou.

Meia-entrada, sim

Apesar da pressão da Fifa, o governo brasileiro não abre mão de que o Estatuto do Idoso seja cumprido no evento. Com isso, maiores de 60 anos terão direito a pagar meia-entrada nos jogos da Copa. A organização do Mundial gostaria que a Lei Geral da Copa derrubasse a vantagem durante o evento.

Veja os temas que geram discórdia entre Fifa e governo federal:

Tema O que a lei garante O que a Fifa queria
MARCAS Pedidos da Fifa terão prioridade no Inpi(Instituto Nacional de Propriedade Industrial) e não levarão mais de um mês para serem analisados. Além disso, a entidade não precisará pagar para fazer o registro das marcas, o que é exigido a todas as empresas do país. Todos os pedidos de uso expressões que façam referencia à Copa sejam aprovados, incluindo o numeral 2014. O que não deverá acontecer já que vai contra a lei Lei 9.279, que regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial e será respeitada.
DIREITO DE TRANSMISSÃO Exclusividade na geração de imagens nos eventos da Copa do Mundo. Porém, mesmo emissoras que não paguem direitos de transmissão poderão exibir trechos do Mundial em noticiários. Uso exclusivo das imagens apenas por empresas que irão pagar pelos direitos de transmissão. Também desejava ter gerencia total e irrestrita sobre distribuição de credenciais
INGRESSOS Preço dos ingressos será determinado pela Fifa. Porém, não exime entidade de cumprir estatuto do idoso, dando direito a meia entrada para maiores de 60 anos Lei da meia entrada para idosos e estudantes não valesse durante o Mundial
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.