Desempenho da zaga atleticana é o pior dos últimos dez anos no Campeonato Mineiro

Ver as redes adversárias balançar é muito bom para quem vive de fazer gols, mas para quem tem a função de parar o ataque inimigo é um verdadeiro tormento. O Atlético-MG é o time com melhor ataque do Campeonato Mineiro , com 15 gols marcados, mas quando o assunto é a defesa, a coisa muda de figura. O time de Belo Horizonte viu o adversário marcar em todos os jogos que disputou este ano. Só no Estadual, foram nove gols em cinco partidas, uma média alta de quase dois sofridos por jogo. Para o zagueiro Réver , o número de gols que a equipe vem sofrendo não é normal.

"As vitórias vem saindo e com os triunfos acabava meio que escondendo estes gols que a gente acabou sofrendo, mas quando se perde alguma coisa está errada, e a primeira coisa a ser questionada é o setor defensivo. Ainda não deu para entender o porquê de tantos gols, estamos procurando evitar, mas infelizmente não está acontecendo. De tanto falarem, isso já está ficando psicológico de alguns jogadores e acaba atrapalhando", declarou o defensor.

Nas partidas da temporada, o técnico Dorival Júnior nunca conseguiu repetir a mesma equipe. O setor defensivo foi o que mais sofreu alterações, sendo que a única peça que atuou em todos os jogos foi o goleiro Renan Ribeiro . Segundo Réver, isso atrapalha o entrosamento da equipe. "Se você analisar a escalação, sempre tem um time diferente, isso acaba atrapalhando um pouco, mas temos que trabalhar e não se abalar com essas coisas, porque isso faz parte do futebol, a correção só vai vir trabalhando", comentou o zagueiro.

O desempenho da zaga atleticana é o pior dos últimos dez anos no Estadual, se comparado com as seis rodadas iniciais das temporadas anteriores. Para se ter uma ideia, em 2008, a equipe foi vazada apenas três vezes, neste ano, já foram 11 gols sofridos. A defesa atleticana só não tomou mais gols que a zaga do Ipatinga e do Uberaba, que sofreram 12 tentos cada uma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.