Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Novo presidente do Inter vai buscar títulos e profissionalização

Giovanni Luigi foi empossado na segunda-feira e projeta também a construção de um Centro de Treinamentos

Gabriel Cardoso, iG Porto Alegre |

Giovanni Luigi assumiu a presidência do Internaciononal na noite desta segunda-feira. A cerimônia aconteceu no Centro de Eventos do clube em Porto Alegre com a presença de conselheiros, e convidados.

“Procurei me preparar ao longo dos últimos anos, entendo que chego ainda jovem, mas bastante experiente e maduro. Pretendo dar seguimento ao que foi feito nas ultimas gestões. Mantendo e melhorando”, disse o novo presidente, que tem 51 anos.

O desafio de Luigi será manter o Inter no mesmo patamar alcançado nos últimos anos. O clube conquistou mais de 10 títulos nos últimos 6 anos, entre eles a Libertadores em 2006 e 2010 e o Mundial em 2006. Mas precisará também cuidar do setor administrativo do clube. O estádio Beira-Rio passa por reformas para sediar a Copa do Mundo de 2014.

“Ganhando os títulos que ganhamos, são suficientes para manter o Inter no patamar de grandeza. Tenho consciência que para entrar para a história, tem que ganhar dentro de campo. O departamento de futebol é a essência do clube e estarei atento a esta área. Mas não posso esquecer também das outras áreas, como a profissionalização de todo o clube, e é uma herança que quero deixar ao meu sucessor. A questão das obras também requer uma grande importância. Um centro de treinamentos é necessário”, avisa Luigi.

O Internacional atualmente utiliza os campos anexos ao estádio Beira-Rio para realizar os treinos diariamente. A ideia do novo presidente é criar um Centro de Treinamentos em uma outra área da cidade.

Giovanni Luigi Calvário é administrador de empresas e é conselheiro do Internacional desde 1992. Desde então, já participou de diversos setores do clube. Foi conselheiro do conselho fiscal e da fundação de educação e cultura do Inter, diretor de comunicação social, vice-presidente de administração, vice-presidente de finanças, vice-presidente de futebol e diretor de futebol. Desde 2007 ele atua no Departamento de Futebol.

Assumiram ainda os vice-presidentes Luis Anápio Gomes e Dannie Dubin. Roberto Siegmann já foi confirmado como Diretor de Futebol. Gélson Pires será o vice-presidente de comunicação social; e Luciano David o vice-presidente de serviços especializados. Aod Cunha, ex-secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul, deverá ser o gestor executivo.

“Passei por quase todas as áreas do clube, e o Departamento de Futebol é bem diferente. Você aprende muito com a derrota, tive dificuldades como vice de futebol em 2007, apesar de termos vencido a Recopa Sul-Americana. Aprendi muito naquela época e trouxemos reforços importantes: Sandro, Guinazu e Magrao são exemplos. Estes anos todos no departamento de futebol me deixaram bem preparado”, explica Giovanni.

Gabriel Cardoso, iG Porto Alegre
Cerimônia no Centro de Eventos do Inter marcou a posse da nova diretoria do Inter para o biênio 2011/2012

Durante o mês de dezembro, o clube sondou o mercado para avaliar algumas possibilidades de contratação. Um atacante e um volante são as prioridades. Para o setor ofensivo, Luis Fabiano é o nome preferido, mas o Sevilla não deve liberar. A proposta do clube gaúcho é de empréstimo por uma temporada. Rafael Moura (ex-Goiás) é uma alternativa. Ricardo Oliveira (do Al Jazira) foi descartado, pois não conseguirá se desvincular do clube árabe.

O volante número um é Edinho, mas o Palmeiras dificulta a saída do jogador. O Fluminense também está na disputa. Se não fechar com Edinho, a diretoria admite partir para uma alternativa no exterior. Battaglia, do Boca Juniors, é uma das possibilidades.

Outros setores, não prioritários, também podem ser reforçados por negócios de ocasião. O zagueiro Leonardo Silva (ex-Cruzeiro) está sem contrato e agrada: Léo Moura está na mesma situação. O jogador teria manifestado a amigos o interesse de jogar no Inter, cabe ao clube gaúcho buscar a liberação junto ao Flamengo.

Guinazu é um dos cotados para sair. O Boca Juniors tem interesse no jogador e poderá fazer uma proposta perto dos R$ 4 milhões. Alecsandro também pode deixar Porto Alegre, mas depende de uma boa proposta. O futebol do Qatar tem interesse, mas a proposta ainda não chegou.

Outros jogadores serão liberados para ajudar na contenção de despesas. O atacante Ilan já foi comunicado que não fica, faltando apenas oficializar a dispensa. O meia-atacante Edu está na mesma situação, e deverá ser liberado em janeiro. O zagueiro Sorondo é outro com boa possibilidade de sair. A esperada proposta do futebol mexicano não chegou, mas o jogador conta com o interesse de outros clubes no mercado brasileiro.
 

Leia tudo sobre: InternacionalGiovanni Luigi

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG