Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Novatos da lista do Inter, Giuliano e Oscar sonham brilhar no Mundial

Alexandre Pato e Luiz Adriano eram os garotos de 2006 e tiveram participação decisiva no título. Destaques da nova geração querem repetir a dose em Abu Dhabi

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237854390555&_c_=MiGComponente_C

Para repetir o sucesso de 2006, o Inter pode usar a mesma receita neste ano, em Abu Dhabi. Se Alexandre Pato e Luiz Adriano fizeram a diferença no primeiro título Mundial dos gaúchos, desta vez surgem outros jovens candidatos a ídolos: Giuliano e Oscar

Giuliano acabou perdendo a condição de titular, mas deve entrar durante as partidas em Abu Dhabi. Em menos de dois anos em Porto Alegre, depois que veio do Paraná, ele já conquistou a torcida gaúcha e foi, inclusive, eleito o craque da Libertadores 2010. O Inter aposta que ele pode fazer a diferença.

Com 20 anos, posso dizer que é um privilégio estar no Mundial. Todo jogador da minha idade gostaria de ter este privilégio. É uma realização pessoal estar lá, e isso mexe com o emocional. Tenho ficado atento a todos os detalhes e busco fazer a preparação da melhor maneira possível, afirmou Giuliano.

Se Giuliano fica ansioso, imagine Oscar, que é um ano mais jovem (19 anos) e tem muito menos experiência no time principal. Ele chegou ao Beira-Rio em junho e garantiu uma das últimas vagas na lista de 23 jogadores do técnico Celso Roth.

Estou muito feliz, estava na expectativa pela lista do Mundial. Ainda bem que deu tudo certo. Será um sonho ter uma oportunidade de jogar lá. Se acontecer, vou agarrar com muita força, como se fosse a maior oportunidade da minha vida, projetou Oscar.

Gabriel Cardoso
Oscar veio do São Paulo, atua como meia e pode ser utilizado no ataque

Os dois jovens já disputaram várias competições internacionais, especialmente pelas categorias inferiores da seleção brasileira. Giuliano foi o camisa 10 e capitão da seleção no Mundial sub-20, ano passado, no Egito. Mas admite que um Mundial pelo Inter, na categoria principal, será diferente. 

A proporção do Mundial de clubes é muito maior do que um jogo por seleções de base. Mas isso é válido. Joguei mundiais pelas seleções sub-17 e sub-20, e isso te propicia experiência e vivência. Mas claro que a ansiedade e o frio na barriga do Mundial são muito maiores, disse Giuliano.

Oscar desbancou nomes mais consagrados, como o experiente Edu, que atuou nove anos na Europa. Teoricamente, ele terá oportunidade de jogar menos tempo em relação a Giuliano. Mas o técnico Celso Roth já deixou claro que conta com Oscar como meio-campista, mas também como atacante.

Desde os meus 15 anos, sempre participei de competições na base do São Paulo, então já estou acostumado com jogos importantes. Claro que é totalmente diferente, mas isso me serviu como bagagem. Estou com muita confiança, pego a bola, vou pra cima da defesa e bato para o gol, e é isso que o Celso tem visto no treino, disse Oscar.

Inspiração é o que não vai faltar. Em 2006, o Inter tinha Alexandre Pato (com 17 anos) no time, e Luiz Adriano (com 19 anos) no banco. Os dois marcaram gol na semifinal contra o Al Ahly.

Acho que tem que ter calma nas comparações, mas quero fazer igual o Pato fez, sim. Ele conseguiu ir bem e sair com o título. Se tiver a oportunidade, quero ir bem, finalizou Oscar.

Leia tudo sobre: internacionalmundial de clubes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG