Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"Nós tentamos jogar bonito e não deu certo", afirma Marquinho

Apoiador diz que o espírito guerreiro está de volta e aposta numa vitória fora de casa contra o América

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

O título brasileiro de 2010 parece ter acomodado os jogadores do Fluminense. Pelo menos nesse início de temporada. Um dos mais raçudos do elenco, Marquinho reconhece que o espírito guerreiro que virou marca registrada da equipe desde a arrancada contra o rebaixamento em 2009 andou sumido. Mas isso é coisa do passado. Pelo menos é o que afirma o coringa do técnico Muricy Ramalho.

“O resultado contra o Nacional não veio, mas jogamos melhor e já mostramos uma evolução. Nosso espírito guerreiro voltou. Lutamos até o fim atrás da vitória. O Campeonato Brasileiro é muito difícil e quando você conquista um título dessa importância é normal haver um relaxamento. Mas vamos voltar a ser aquele time de guerreiro de 2009, “afirmou Marquinho.

Para o jogador, as caras novas do elenco e as constantes experiências do técnico Muricy Ramalho não são a razão do insucesso tricolor nesse início de temporada. Sempre sincero, Marquinho diz sem rodeios que o estilo de jogo da equipe é que não pode mudar.

“As mudanças são normais. Ano passado o time mudava toda hora também. A verdade é que tentamos jogar bonito e não deu certo. Nosso time nunca jogou bonito e sempre ganhou. A principal característica do nosso time é a pegada, a marcação e temos que voltar a jogar assim”, explicou.

Mas contra o América a ordem é atacar. Assim como Muricy Ramalho, o apoiador aposta numa vitória fora de casa. Motivos não faltam para o torcedor acreditar. Afinal, Marquinho lembra que na conquista do Brasileirão do ano passado a equipe ganhou quase o mesmo número de jogos como visitante. Dos 20 resultados positivos, oito foram longe do Rio de Janeiro.

"Nos dois jogos aqui, eles jogaram com seis, sete homens atrás da linha da bola. Foi difícil entrar na defesa deles. Temos que ter paciência, ter a posse de bola. Com certeza o América vai sair para o jogo e nos proporcionar espaços para os contra-ataques”, explicou.

Além da falta do espírito guerreiro dos anos anteriores, Marquinho aponta as diferenças de um campeonato para o outro como uma das razões para essa oscilação do Fluminense.

“É tudo diferente. Os times, a arbitragem. No carioca, qualquer toque é falta. Na Libertadores não, os árbitros deixam o jogo correr e ainda estamos nos adaptando. Tudo isso atrapalha. Mas aos poucos o time está crescendo e temos certeza de que vamos buscar nossa classificação”, prevê o jogador, que discorda de que as muitas mudanças feitas por Muricy esteja atrapalhando.

“Atrapalhar não, é questão de adaptação. Os jogadores que chegaram precisam de um tempo para conhecer bem o grupo e se adaptar ao nosso estilo de jogo. O Araújo entrou bem contra o Nacional e aos poucos está recuperando a forma e o Souza também. È um jogador de ótimo toque de bola. O Muricy ainda está procurando o time ideal”.
 

Leia tudo sobre: Copa Libertadores 2011FluminenseMarquinho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG