Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Nos pênaltis, Japão surpreende EUA e conquista título mundial

Após 120 minutos de disputa, as seleções empataram em 2 a 2. Nas cobranças de pênaltis, Japão fez 3 a 1 e conquistou seu 1º título

Gazeta |

Após estar duas vezes atrás do placar, a seleção japonesa conseguiu levar a final da Copa do Mundo Feminina para os pênaltis, venceu os EUA por 3 a 1 e conquistou o seu primeiro titulo mundial. A partida terminou empatada por 1 a 1 no tempo normal. Na prorrogação, os EUA saíram novamente na frente, mas o Japão conseguiu igualar o placar e levar a decisão para os pênaltis.

Os nipônicos participaram de todas as edições da competição, mas nunca tinham ido além da quartas de final, o que aconteceu no mundial de 1995.

AFP
Japonesas comemoram no gramado após o fim da disputa de pênaltis

Já os EUA perderam a oportunidade de alcançar o tricampeonato mundial e restabeleceram a hegemonia da categoria, continuando empatados em número de títulos com a anfitriã Alemanha, que também possui o bicampeonato mundial.

As algozes da seleção brasileira haviam tropeçado apenas uma vez no campeonato, contra a Suécia, ainda na fase de grupos. Já a seleção japonesa surpreendeu ao vencer a Alemanha nas quartas de final e ao se classificar para a final com uma vitória justamente sobre as suecas, que ficaram com a medalha de bronze da competição.

O JOGO

Os EUA começaram melhor na partida, pressionando a defesa japonesa, mas errando nas finalizações. Foram quatro boas oportunidades antes dos dez minutos de jogo, a melhor delas com a meio-campo Rapinoe. As japonesas tentavam chegar à meta adversária, mas não levavam perigo nenhum à goleira Hope Solo.

Na metade do primeiro tempo o jogo esfriou, pois permanecia muito preso no meio-campo. Até que aos 26 minutos, a atacante Wanbach chutou forte da entrada da grande área e a bola explodiu no travessão da meta da goleira japonesa Kaihori.

A melhor oportunidade do Japão surgiu aos 31 minutos, dos pés da meio-campo Ando, que recebeu passe dentro da grande área, mas não teve força na finalização e a goleira Hope Solo defendeu tranquilamente. Nos dez minutos finais as duas seleções continuaram tentando alcançar o gol, mas sofriam com a falta de pontaria e com os desarmes adversários.

No segundo tempo, a seleção americana começou pressionando novamente. Após os dez minutos, os contra-ataques passaram a ser bastante explorados, o que deixou o jogo mais dinâmico. A seleção americana permaneceu superior na partida, acertando passes e desarmes, mas ainda errando as finalizações.

Aos 19 minutos, O'Reilly chutou forte e a goleira Kaihori fez uma bela defesa, buscando a bola rente ao travessão. Aos 24, teve início a jogada de gol dos EUA. Morgan recebeu no meio de campo e finalizou com categoria, marcando o primeiro gol americano.

Mesmo com a desvantagem no placar, a seleção japonesa não se intimidou e continuou chegando à meta de Hope Solo. Aos 36 minutos, Miyama empatou para o Japão, após confusão entre as zagueiras americanas e a goleira.

As duas equipes estavam dispostas a alcançar o resultado no tempo normal, mas não conseguiram impedir e a partida foi para a prorrogação.

A prorrogação começou da mesma forma que os 90 minutos terminaram: disputados. As duas seleções tiveram chances, mas os EUA foram mais felizes e alcançaram o gol aos 14 minutos da primeira parte, com a atacante Wambach.

Na segunda parte da prorrogação, o Japão continuou empenhado em buscar o empate, mas parou na zaga dos EUA, que estavam mais recuadas. Aos 12 minutos, a artilheira e capitã japonesa Sawa surpreendeu novamente a zaga americana e marcou o segundo do Japão, o seu quinto na competição mundial, levando a decisão para as cobraças de pênaltis. 

A seleção dos EUA não foi feliz nos pênaltis: Boxx e Lloyd desperdiçaram as suas cobranças e a goleira Kaihori defendeu o terceiro dos EUA, cobrado por Heath. A única cobradora americana que converteu foi Wanbach. Do lado japonês, Miyama, Sakaguchi e Kumagai converteram. E a goleira Hope Solo defendeu a cobrança de Y. Nagasato.

Leia tudo sobre: mundial femininoJapãoEUAfutebol mundial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG