Tamanho do texto

Primeiro colocado na Série B, time paulista não vence há três jogos e deixou rivais se aproximarem

A Portuguesa que chegou a ser chamada de "Barcelusa" por seus torcedores devido à arrancada no primeiro turno, terminou a primeira metade da Série B do Campeonato Brasileiro na liderança. Mas o rendimento não é mais o mesmo: não vence há três jogos e deixou rivais se aproximarem, entre eles o Náutico (adversário às 20h30 (de Brasília) desta terça-feira, nos Aflitos), que está em terceiro lugar e invicto há quatro partidas.

Bastará um empate para a Lusa terminar a primeira rodada do segundo turno na ponta da tabela - se perder, pode ser superada pela Ponte Preta, que precisaria vencer o ASA em Alagoas e tirar desvantagem de oito gols no saldo. Voltar a vencer no Recife, entretanto, vale mais do que o retorno da confiança. O triunfo seguraria o Timbu, que se reabilitou da derrota no clássico local com o Sport, há quatro rodadas, com duas vitórias em casa e dois empates como visitante, e só não terminou o turno na vice-liderança porque cedeu a igualdade para a Ponte Preta, fora de casa, após estar ganhando por 3 a 1.

De qualquer forma, o time que foi goleado por 4 a 0 pela Portuguesa no Canindé, na estreia da Série B, vive situação completamente diferente do que entrará em campo nesta terça-feira. O técnico Waldemar Lemos que já estava no clube. E hoje é considerado um dos motivos para a ascensão do Timbu.

Um dos seus segredos é a cobrança, reforçada com conversa sobre o deslize que custou uma importante vitória no fim de semana e segurou a equipe na terceira colocação, a quatro pontos da Lusa. O papo nos vestiários durou mais de uma hora, suficiente para conscientizar ao todos da importância do confronto desta terça-feira.

"Todos aqui estão focados em subir, em trabalhar forte para manter o Náutico na parte de cima da tabela. Sabemos que será uma tarefa dura, mas estamos preparados", prometeu o goleiro Gideão. Ele iniciará a partida nos Aflitos ao lado de todos que foram titulares contra a Macaca, provando a confiança do chefe em seus escolhidos.

O técnico Jorginho opta pelo mesmo em sua equipe e não fará mudanças drásticas mesmo após derrota para o Vila Nova e empates com Duque de Caxias e Icasa. Na escalação que foi titular no sábado, quando a Lusa só empatou por 3 a 3 no fim do jogo no Canindé com o Icasa, será sacado apenas o zagueiro Rogério, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Mateus, que seria uma alternativa na defesa, está fora por sentir desconforto na coxa direita.  Renato e Everton Luiz disputam a vaga. Independentemente do escolhido, o treinador aposta na determinação que todo o elenco tem mostrado. "Hoje, esses jogadores pensam mais na instituição Portuguesa do que nas suas próprias coisas. O comprometimento que eles estão tendo é fora do comum", enalteceu o comandante.

FICHA TÉCNICA
NÁUTICO X PORTUGUESA

Local: estádio dos Aflitos, em Recife (PE)
Data: 30 de agosto de 2011, terça-feira
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (FIFA-RJ)
Assistentes: Jackson Massara dos Santos e Francisco Pereira de Sousa (ambos do RJ)

NÁUTICO: Gideão; Peter, Marlon, Ronaldo Alves e Jeff Silva; Everton, Elicarlos, Derley e Eduardo Ramos; Rogério e Kieza
Técnico: Waldemar Lemos

PORTUGUESA: Weverton; Luís Ricardo, Renato (Everton Luiz), Leandro Silva e Marcelo Cordeiro; Ferdinando, Guilherme, Marco Antônio e Henrique; Ananias e Edno
Técnico: Jorginho