Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Nomeação de assessor para Tirone prejudica relação com Frizzo

Mauro Marques ganhou cargo no Palmeiras há um mês e fato gera críticas pela má relação com vice de futebol

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

A nomeação de Mauro Marques como assessor da presidência do Palmeiras , há cerca de um mês, causou estranheza em boa parte de conselheiros de todas as facções políticas e em funcionários da Academia de Futebol. Isso porque o novo ajudante de Arnaldo Tirone, segundo pessoas que frequentam os bastidores do clube, não tem boa relação com o vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo. E pior, quer derrubá-lo do cargo. Sendo assim, a escolha teria sido um tiro no pé do presidente.

Segundo fontes próximas à cúpula do Palmeiras, Mauro Marques é uma das ratazanas a que Frizzo se refere constantemente, reclamando de pessoas que vazam notícias para a imprensa apenas para tumultuar o ambiente. Um funcionário relatou ao iG que, certa vez, o vice-presidente chegou até a alertar Arnaldo Tirone de que um conselheiro fazia de tudo para derrubá-lo, sendo esse recado dado perto de Mauro Marques e com olhares atravessados para o suposto rival.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Mauro já teve cargo em gestões passadas. Na anterior, por exemplo, foi diretor de relações externas por certo período, mas acabou brigando com o então presidente Luiz Gonzaga Belluzzo. O ex-presidente, aliás, confirmou ao iG que tirou Mauro do cargo por suspeitar que ele vazava notícias mentirosas. Belluzzo, inclusive, também confirmou que teve uma ríspida discussão com Mauro Marques pelo telefone.

Gilberto Cipullo, vice-presidente de futebol daquela época, também se recorda do problema. “Algumas notícias vazadas foram atribuídas ao Mauro. O Belluzzo teve uma indisposição com ele, chegaram a trocar farpas e ele acabou saindo do cargo. Pessoalmente, eu nunca tive problema com o Mauro e nem posso dizer que ele realmente vaza as notícias”, disse Cipullo.

Relembre: Brigas da era Antônio Carlos atrapalham o Palmeiras de Felipão

Em busca de explicações para a nomeação, duas teses foram criadas por alas diferentes. A primeira, por gente próxima ao técnico Luiz Felipe Scolari, diz que Mauro Marques foi nomeado por Tirone para vigiar Roberto Frizzo. Ele seria informante do presidente, o que força Felipão a ter boa relação com o conselheiro. Vale lembrar que o técnico e Frizzo não se bicam. Pessoas ainda relatam já ter ouvido da boca do vice de futebol que Mauro é uma ratazana.

Outra tese afirma que Luiz Felipe Scolari deixa Mauro Marques próximo à comissão técnica para poder usá-lo como informante. Ou seja, o troca informações com o conselheiro de forma proposital, sabendo que algumas das informações virariam notícia e estampariam capas de jornais nos dias seguintes.

Segundo essa tese, os alvos dos dois são os mesmos: Frizzo e Sérgio do Prado.

Funcionários ainda relatam que Mauro Marques tem uma birra pessoal com Sérgio do Prado por causa da gestão passada. O gerente administrativo precisou barrar o conselheiro várias vezes, a pedido de Belluzzo. Isso irritou Mauro Marques, que também está licenciado de um cargo de vice-presidente da FPF (Federação Paulista de Futebol).

AE
Relação entre Frizzo e Tirone pode ter sido desgastada

Arnaldo Tirone nega que Frizzo e Mauro Marques tenham problemas de relacionamento. Ele relembra o passado para mostrar que eles são amigos e ainda enfatiza que ele conta com vários assessores da presidência.

“O Mauro sempre foi mais amigo do Frizzo do que de mim. Ele mesmo deu apoio para a campanha do Frizzo quando ele foi candidato nas últimas vezes. Pelo que sei, eles se dão muito bem. Além disso, eu dei esse cargo ao Mauro por ele ter boas relações com todo mundo, mas tenho outros vários assessores. Se as pessoas falam que ele vaza notícia, elas têm que provar”, disse Tirone, que ainda falou que seu assessor não tem conversas diárias com Felipão, como relatam os funcionários.

Veja também: Mauro Marques será sócio de Marcos em nova clínica

“O Mauro vai para a Academia apenas para tratar do joelho com nossos médicos, assim como vários outros conselheiros. Eu não tenho problema nenhum em ajudar os conselheiros. Ele não vai lá para falar com Felipão e não tem cargo no futebol”, completou.

Frizzo preferiu não se pronunciar e disse apenas que Tirone tem autonomia para nomear quem ele quiser. Sérgio do Prado seguiu a mesma linha e voltou a repetir que o trabalho falará por ele. Via assessoria, Felipão também afirma que tem relação profissional com todos funcionários e conselheiros. Em uma coletiva, ele já disse que mantém relações com Mauro por ele ser assessor da presidência. Já Mauro Marques disse ao iG que estão criando uma tese para colocar uma rixa que não existe.



Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

 

“Tem gente aqui dentro que tem ciúme. Eles querem colocar crise onde não existe. Sempre fui amigo do Frizzo, defendi e fiz campanha por ele anteriormente e, atualmente, estamos muito bem. Ele chegou a cair no envenenamento de algumas pessoas, brigou comigo, mas depois a gente fez as pazes. Não entendo porque essas pessoas querem me colocar contra ele. São os mesmos que me prejudicaram com o Belluzzo", disse, indignado.

“Eu sou amigo do Felipão há muito tempo, não tenho problema nenhum com ele. Sempre converso com ele como amigo. Mas tudo que acontece lá eles querem achar um culpado e sempre sobra para mim. Querem falar até do meu passado político”, finalizou o conselheiro que também já trabalhou na política nacional, ocupando cargos no PMDB e no PT, tendo até feito parte da administração do Porto de Santos, onde teve uma administração contestada.

Leia tudo sobre: palmeirasmauro marquesfrizzotirone

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG