Presidente da Fifa se encontrou com o ditador e entidade doará cerca de US$ 1,5 milhão ai país

Pouco mais de um mês após sua polêmica reeleição para o quarto mandato consecutivo à frente da Fifa , Joseph Blatter volta a dar munição para seus críticos. Em visita ao Zimbábue, além de se encontrar com o ditador do país, Robert Mugabe, o dirigente colocou o talento do continente africano para o futebol à frente do brasileiro.

 “Futebol é mais do que chutar uma bola. Eu não venho à África para impor o futebol europeu, eu respeito particularidades e a cultura [de cada lugar]. A África tem mais talento que o Brasil, mas o talento da África ainda não é desenvolvido”, afirmou Blatter, segundo o site do jornal britânico "The Guardian".

Blatter se encontrou com Mugabe, prometeu dinheiro ao Zimbábue e disse que talento africano é maior que o brasileiro
AP
Blatter se encontrou com Mugabe, prometeu dinheiro ao Zimbábue e disse que talento africano é maior que o brasileiro

Durante sua passagem pelo Zimbábue – país que também está envolvido em denúncias de manipulação de resultados –, Blatter inspecionou campos de treinamento que precisam de ajuda financeira por conta dos problemas econômicos que envolvem o país. E o dirigente prometeu doações de US$ 1 milhão ao longo de quatro anos para programas de futebol no país, além de mais US$ 500 mil para o programa internacional da Fifa, “Goal”.

Em 2010, na reta final de preparação para a Copa do Mundo de 2010, a CBF também foi criticada por se envolver com Mugabe, cujo governo levou o país a uma crise institucional nos últimos vinte anos . Isso porque foi contra o Zimbábue um dos últimos amistosos da seleção brasileira antes do Mundial .

A partida, financiada por Mugabe, foi usada como evento político . E embora o então técnico Dunga tenha se negado a cumprimentar o ditador, o mesmo não aconteceu com os jogadores brasileiros e com o chefe da delegação, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.