Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

No reencontro com Adilson, corintianos assumem culpa por demissão

Para Alessandro e Chicão, diversos fatores prejudicaram o trabalho do hoje técnico santista no Corinthians

Bruno Winckler, iG São Paulo |

O clássico deste domingo entre Corinthians e Santos marca o reencontro entre os jogadores do clube do Parque São Jorge com Adilson Batista. O atual técnico santista dirigiu seu rival desta tarde por 17 jogos, entre agosto e outubro de 2010, e deixou o clube demitido por conta de uma sequência de maus resultados. O último, uma derrota por 4 a 3 para o Atlético-GO, no Pacaembu.

Chicão e Alessandro, que compõem a defesa, setor mais criticado do período de Adilson no Corinthians, defendem o então treinador e se culpam pelo insucesso que o Corinthians teve naquele período.

“O Adilson é um grande treinador. Não é certo culpá-lo pelo que deu errado. Todos nós erramos e os resultados não vieram. Sabemos como ele trabalha e por isso temos a certeza de que ele é competente”, disse Chicão, que iniciou sua carreira no Mogi Mirim com Adilson Batista como treinador. O zagueiro está fora do jogo contra o Santos.

Alessandro lamentou que a equipe teve apenas dois meses para trabalhar com Adilson e que, durante este período, o time tenha sofrido com muitas lesões. “Infelizmente foi pouco tempo. Não conseguimos os resultados e por isso a culpa por ele ter saído é nossa”, disse o lateral.

Em 17 jogos com Adilson, a equipe sofreu 24 gols e caiu da liderança para o terceiro lugar. “Não foi só a defesa que pecou naquela época, foram todos. Todos tiveram responsabilidade nisso. Mas a vida segue, estamos agora focados no Campeonato Paulista, assim como o Adilson, que está fazendo excelente trabalho no Santos”, disse o lateral, capitão da equipe na ausência de Chicão.
 

Leia tudo sobre: CorinthiansSantosCampeonato Paulista 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG